Pressionado, Paulo Sousa já demonstrou incômodo com sombra de Jorge Jesus no Flamengo; relembre

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O português Jorge Jesus continua a orbitar o Flamengo, agora por conta da publicação de declarações em que ele deixa claro o desejo de retornar ao clube carioca. Esse cenário causa mais desconforto ao técnico Paulo Sousa, a quem a diretoria garante haver respaldo.

As constantes referências a Jorge Jesus — no dia a dia do clube, na imprensa e entre os torcedores — já foi motivo de queixa por parte de Paulo Sousa. O treinador deixou claro o incômodo após a vitória por 3 a 1 sobre o Talleres, no Maracanã, pela Libertadores, há menos de um mês:

— Temos que entender que é normal que os torcedores tenham simpatia por alguém, o que não é normal é ter uma certa direção passional por A ou B, por treinador A ou jogador B. Isso não me parece respeitoso mesmo por vocês (imprensa). Mas a nós não afeta. Somos um grupo que deixou claro desde o início a ideia de jogo.

A memória e, por vezes, a presença de JJ têm sido um peso sobre os treinadores que o sucederam no Flamengo, com momentos de folga quando os resultados e os desempenhos do time melhoram. No caso de Paulo Sousa, a maior pressão se deu após a perda do título carioca para o Fluminense. Mas ela nunca se aliviou por conta das atuações oscilantes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos