Preta Gil: entenda o que é o adenocarcinoma no intestino diagnosticado na cantora

A cantora Preta Gil revelou na noite desta terça-feira ter sido diagnosticada com um adenocarcinoma no intestino, um tipo de câncer maligno, após passar seis dias hospitalizada na clínica São Vicente, no Rio de Janeiro. Em publicação nas redes sociais, a artista disse que iniciará o tratamento na próxima segunda-feira.

"Tenho adenocarcinoma na porção final do intestino. Inicio meu tratamento já na próxima segunda-feira e conto com a energia de todos para seguir tranquila e confiante", escreveu.

O adenocarcinoma é o nome dado a um tumor maligno que surge nas células dos tecidos epiteliais glandulares, responsáveis pela secreção. Por isso, é um tipo de câncer que pode se manifestar em diversos órgãos, sendo mais comum em lugares como próstata, pulmão, trato gastrointestinal, mama e intestino, como é o caso de Preta Gil.

Ele é, portanto, uma das formas de câncer no intestino, diagnóstico que também é conhecido como câncer colorretal e câncer de cólon e que engloba todos os tumores que se iniciam na parte do intestino grosso chamada cólon, no reto e no ânus.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o diagnóstico é responsável por 45 mil casos e 20 mil óbitos ao ano, de forma proporcional entre homens e mulheres.

O câncer de intestino chamou atenção recentemente por ter sido a causa da morte dos ex-jogadores Pelé e Roberto Dinamite. No entanto, é uma doença tratável e que pode ser curada, especialmente quando detectada de forma precoce e alvo do devido tratamento.

Os principais sintomas envolvem dores abdominais e sangue nas fezes. Porém, especialistas ressaltam que esses são sinais recorrentemente associados a outros problemas de saúde, como úlcera gástrica e hemorroidas, por isso não são motivo para desespero.

O importante é se estar atento e, em caso de queixas como as listadas abaixo, procurar um médico especializado. Ele poderá identificar se há de fato uma suspeita de câncer, a partir do histórico do paciente, e encaminhar os devidos exames para realizar o diagnóstico correto.

Confira os sintomas:

Segundo informações do Inca, o câncer de intestino é "uma doença tratável e frequentemente curável". Geralmente, a intervenção inicial é cirúrgica para retirar a parte do intestino afetada pelo tumor. A depender do melhor tratamento indicado pelo médico, outras etapas podem envolver sessões de radioterapia e quimioterapia.

A eficácia do tratamento depende principalmente de onde o tumor está localizado, e o seu tamanho e extensão. Em casos de metástase, quando o câncer se espalha para outras regiões do corpo, as perspectivas de cura são reduzidas. Por isso, a detecção precoce é tão importante para um bom desfecho.

Os principais fatores que aumentam o risco de câncer de intestino são idade superior a 50 anos, obesidade e alimentação não saudável. O consumo de carnes processados, como salsicha e presunto, e a ingestão excessiva de carnes vermelhas (acima de 500g por semana) também são hábitos relacionados a uma maior incidência da doença, diz o Inca.

Além disso, histórico do tumor na família, diagnósticos anteriores de câncer, tanto no intestino, como no ovário, útero ou mama, também elevam o risco do problema. Outras práticas nocivas também podem favorecer o desenvolvimento do câncer, como tabagismo e excesso de bebidas alcoólicas.

O tumor no intestino também pode ser decorrente de outras condições de saúde que inflamam o intestino, como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn.