PRF divulga imagens da abordagem de criminosos a agente morto no Rio; veja vídeo

Imagens do circuito de segurança da via Transolímpica mostram o momento em que assaltantes abordam o carro do agente federal Bruno Vanzan, morto na última quinta-feira após reagir a tentativa de assalto. Na ação, o agente foi ferido por um disparo e acabou caindo da via expressa, Bruno morreu no local.

Tentativa de assalto: Agente da PRF morre após cair de viaduto da Transolímpica durante confronto com assaltantes

Busca por envolvidos: Disque Denúncia pede informações sobre envolvidos na morte de agente da PRF na Transolímpica

Nas imagens é possível observar a ação dos criminosos. Dois carros interceptam o veículo do agente que saí do carro e parece reagir, há perseguição a pé pela via e Bruno desaparece.

Morte após tiro

O policial Marcos Aguiar, chefe da comunicação da PRF, disse, em entrevista ao "RJTV", que todos estão consternados com a morte do colega.

— Por volta das 14h35, Bruno Vanzan fazia a travessia para sua residência pela Transolímpica, quando sofreu uma tentativa de assalto por criminosos, com o intuito talvez de levar o veículo dele, que é bastante visado. Como é policial, ele tentou ainda reagir a esse assalto. Os criminosos viram que ele saiu do veículo, tentando salvar sua própria vida, para fazer a travessia de uma via para outra. Ao mudar de faixa, ele continuou sendo alvejado por armas de fogo e caiu num vão na Vila Militar.

Presa com quase R$ 1,8 milhão: Delegada Adriana Belém está com tornozeleira eletrônica após ser solta

Ao ser indagado se o policial tentou pular de um viaduto para outro, Marcos Aguiar explicou:

— Ali é praticamente um viaduto, composto por duas vias, ele tentou se salvar tentando a travessia, pular. Uma vez que ele já estava alvejado por disparos de armas de fogo, isso dificultou e ele veio a cair nesse vão.

'Você é gostosa’: médico é investigado por assédio a paciente no Rio

Perseguição a envolvidos

Após a morte do policial rodoviário Bruno Vanzan, nesta quinta-feira, equipes da PRF foram à comunidade da Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Segundo a corporação, um dos veículos envolvidos na morte do agente era oriundo do local. O carro, modelo Kia Cerato, foi encontrado abandonado. Nenhum criminoso foi preso.

Informações do setor de inteligência e do Disque Denúncias, também indicaram que o segundo carro envolvido no ataque estava no Complexo do Chapadão. Na operação, a PRF apreendeu duas pistolas, um carregador de fuzil e entorpecentes.