PRF e Policia Civil fazem operação contra rachas; Veículos envolvidos são avaliados em R$ 5 milhões

RIO - A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Civil deflagraram a Operação Paraty is Over para contra rachas na manhã desta quinta-feira, dia 28, no Rio de Janeiro. A ação cumpre 23 mandados de busca e apreensão de veículos, avaliados em cerca de R$ 5 milhões no total, e 24 em domicílios de envolvidos na promoção de disputas conhecidas como rachas. Os mandados estão sendo cumpridos na Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Campo Grande, na Zona Oeste, Copacabana, Leblon, Jardim Botânico, Botafogo e Flamengo, na Zona Sul, na Ilha do Governador, Benfica e Alto da Boa Vista, na Zona Norte, e nos município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense e Miguel Pereira, na Região Serrana.
 
As investigações se iniciaram na 106ªDP (Itaipava) há cerca de um mês, após uma competição ilegal de carros não-autorizada, que envolveu 26 veículos, na BR-040, entre Petrópolis e Itaipava, na Região Serrana. Durante a competição, um dos carros, uma BMW capotou, e o motorista fugiu do local por não possuir habilitação. também removeu o carro chegada da perícia, desfazendo a cena do acidente.

De acordo com o delegado João Valentim, titular da 106ª DP, o grupo teria se encontrado às 9h do dia da competição, em um posto de gasolina na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, e seguido em comboio até Itaipava. Durante o trajeto, tiveram início as disputas em alta velocidade e com realização de manobras perigosas.

Com base em ações de inteligência, diligências e análise de mais de 16 horas de filmagens, foi possível identificar o autor do capotamento e todos os veículos envolvidos na disputa. Ainda segundo o delegado, o apoio da Polícia Rodoviária Federal foi fundamental para a captura de filmagens e identificação dos autores. Durante as investigações, a unidade identificou ainda um canal em uma rede social onde os envolvidos na prática criminosa postavam vídeo das competições ilegais.

As investigações prosseguem para identificar e ouvir todos os envolvidos na prática ilegal.