PRF não aumentou número de policiais efetivos no 1º dia de manifestações golpistas

Segundo a PRF, houve aumento de 400% em seu efetivo (ANDERSON COELHO/AFP via Getty Images)
Segundo a PRF, houve aumento de 400% em seu efetivo

(ANDERSON COELHO/AFP via Getty Images)

  • PRF não aumentou número de policiais efetivos no primeiro dia de protestos bolsonaristas;

  • Um dia após as eleições, manifestantes bloquearam rodovias de todo o país;

  • Quantidade de agentes trabalhando nos locais só aumentou na terça-feira (1º).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) não aumentou o número de agentes efetivos na última segunda-feira (31), dia em que começaram as manifestações bolsonaristas com teor golpista nas rodovias de todo o país.

De acordo com o levantamento da Folha de S. Paulo, o número de policiais em exercício foi semelhante ao das outras segundas de outubro, o que mostra que não houve reforço imediato para a situação. Veja:

  • Dia 3/10: 2.018 agentes

  • Dia 10/10: 2.271 agentes

  • Dia 24/10: 2.333 agentes

  • Dia 31/10 (pós segundo-turno): 2.310 agentes

O número de policiais só aumentou na terça-feira (1º), quando passou para 3.327 em atuação, após a determinação do ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Os dados incluem todos os policiais que, nas 24 horas desse dia, trabalharam nas rodovias.

Em nota, a PRF explica que não pode disponibilizar dados sobre a quantidade de policiais "por conta do dever legal de guardar sigilo sobre informações que possam vir a ferir a segurança orgânica da instituição e de seus servidores". Ainda assim, informa que "vem trabalhando incansavelmente para restabelecer o fluxo nas rodovias federais com um incremento de 400% em seu efetivo".

Na noite desta quinta-feira (3), a PRF disse que todos os bloqueios totais no país foram desobstruídos, restando apenas 24 interdições (bloqueios parciais).

Determinação de Moraes

Na segunda-feira, o presidente do TSE ordenou a "imediata desobstrução de estradas" interditadas de forma ilegal por caminhoneiros apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Os protestos, motivados pelo descontentamento com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de domingo, atingiram ao menos 22 estados.

O ministro apontou que a PRF não estava “realizando sua tarefa constitucional e legal” e disse que o descumprimento da ordem pode resultar no afastamento ou na prisão em flagrante do diretor da PRF, Silvinei Vasques.

Houve também determinação de multa pessoal ao chefe da corporação de R$ 100 mil a cada hora que as pistas permanecessem bloqueadas a partir da meia-noite daquele dia.