Primeira audiência no caso Microsoft-Activision será em 3 de janeiro

WASHINGTON (Reuters) - Um juiz marcou para 3 de janeiro a primeira audiência pré-julgamento no caso do governo dos Estados Unidos contra a Microsoft sobre a oferta de 69 bilhões de dólares para comprar a Activision Blizzard.

A Federal Trade Commission (FTC), que aplica a lei antitruste, pediu a um juiz para bloquear a transação no início deste mês, argumentando que a fusão permitiria ao Xbox da Microsoft obter acesso exclusivo aos jogos da Activision, deixando de for a os consoles de Nintendo e PlayStation da Sony.

A Microsoft respondeu que o acordo beneficiará jogadores e empresas de jogos, e se ofereceu para assinar um decreto de consentimento vinculativo com a FTC para fornecer jogos "Call of Duty" a rivais, incluindo a Sony, por uma década.

A Microsoft apresentou o argumento com o objetivo de convencer um juiz da FTC a permitir que o negócio continue.

O caso é um sinal de que o governo Biden está adotando uma abordagem vigorosa para a fiscalização antitruste. Mas especialistas dizem que a FTC terá uma batalha difícil para convencer um juiz a bloquear o acordo, por causa das concessões voluntárias oferecidas pela Microsoft para dissipar os temores de que poderia dominar o mercado de jogos.

(Reportagem de Alexandra Alper)