Primeira execução nos Estados Unidos em 2018

Imagem de 18 de outubro de 2017 de Anthony Allen Shore

O estado americano do Texas executou na quinta-feira um assassino em série que estrangulava suas vítimas, sendo essa execução a primeira do ano nos Estados Unidos.

Apelidado de "Tourniquet killer" ("assassino do garrote", Anthony Shore, de 55 anos, recebeu uma injeção letal na prisão ao norte de Houston. Sua morte foi constatada às 18H28, segundo o serviço penitenciário.

Este pai de família, particularmente talentoso para a música, confessou ter matado uma menina, duas adolescentes e uma mulher hispânica ao longo de uma década. Outras mulheres relataram que ele as estuprou.

Sua prisão aconteceu oito anos após seu último crime conhecido, o assassinato em 1995 de Dana Sanchez, de 16 anos.

Anthony Shore também assassinou uma menina de 9 anos, Diana Rebollar, e outra adolescente, Laurie Tremblay, de 14 anos.

Mas foi o estupro e assassinato em 1992 de uma jovem de 21 anos, Maria del Carmen Estrada, que lhe valeu uma sentença de morte.

Durante todos esses anos, ele viveu uma vida aparentemente normal, trabalhando, criando suas filhas e tocando em clubes de jazz.

Sua família, no entanto, havia notado elementos perturbadores em casa, incluindo o fascínio que parecia exercer sobre ele o pescoço de suas colegas.

No final da década de 1990, ele se declarou culpado de agressão sexual contra suas filhas e foi registrado como agressor sexual, com as autoridades coletando seu DNA.

Anos depois, a polícia estabeleceu uma correspondência entre DNA e fragmentos de material coletado sob as unhas do cadáver de Maria del Carmen Estrada.

Em prisão preventiva, o suspeito confessou este assassinato e os outros. Depois de ter pedido que fosse condenado à morte em seu julgamento de 2004, Anthony Shore mudou de ideia durante a sua detenção e passou os últimos anos entrando com recursos para adiar a sentença.

O condenado deveria ter executado em 18 de outubro de 2017, mas sua execução foi adiada in extremis para esclarecer um esquema para exonerar outro prisioneiro, Larry Swearingen, condenado à morte pelo assassinato em 1998 de uma jovem de 19 anos, Melissa Trotter.

De acordo com esse esquema, Anthony Shore se acusaria em uma carta póstuma pelo assassinato de Trotter para livrar Swearingen, cuja culpabilidade não levanta dúvidas aos olhos das autoridades do Texas.

Shore também tentou recentemente reivindicar mais dois assassinatos não resolvidos, uma manobra apontada pelos procuradores do Texas como uma tentativa de adiar sua execução.