Primeira "playmate" transgênero da Playboy espera "abrir caminho para todas as mulheres"

Por Zoe Tabary
Festa da revista Playboy, em Caracas, Venezuela 11/10/2007 REUTERS/Jorge Silva

Por Zoe Tabary

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) - A revista masculina Playboy retratou pela primeira vez uma "playmate" transgênero na página central de sua edição de novembro, um passo que a modelo espera que abra caminho para "todas as mulheres --trans ou não-- na moda e em outros setores".

Ines Rau, uma modelo francesa que posou nua em uma edição de 2014 da Playboy e que já trabalhou com a Balmain e a Vogue Itália, é a primeira modelo transgênero a aparecer na página dupla central da revista em seus 64 anos de história.

"A beleza de todas as mulheres merece ser celebrada", disse Ines, de 26 anos, à Thomson Reuters Foundation em sua primeira entrevista sobre o ensaio.

"Ninguém merece ser uma mulher mais do que aquelas (mulheres trans) que sofrem abusos rotineiramente e são tratadas como se fossem menos do que nada".

A publicação da Playboy vem em um momento em que modelos transgênero estão cada vez mais visíveis na moda e na mídia. Em março, a edição francesa da revista Vogue retratou pela primeira vez uma modelo transgênero em sua capa, assim como a revista Marie Claire Espanha fez em 2016.

Ines disse que o fundador da Playboy, Hugh Hefner, um franco defensor dos direitos civis, havia escolhido ela pessoalmente para ser a primeira "playmate" transgênero da revista antes de morrer com 91 anos em setembro, e "me disse que estava muito orgulhoso de mim".

(Reportagem de Zoe Tabary)