Primeiro candidato a discursar, Kajuru ataca Alcolumbre e a distribuição de recursos em troca de votos

RENATO MACHADO E THIAGO RESENDE
·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 14.03.2019: O senador Jorge Kajuru (GO). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 14.03.2019: O senador Jorge Kajuru (GO). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O candidato à presidência do Senado Jorge Kajuru (Cidadania-GO) usou seu tempo de discurso para criticar a gestão de Davi Alcolumbre (DEM-AP) na presidência do Senado e a forma como se formaram blocos de apoio ao candidato Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

"Tudo o que ele [Alcolumbre] prometeu ele não cumpriu. Termina seu mandato de forma tão melancólica, que muitos brasileiros afirmam sentir falta de Renan Calheiros", disse o senador.

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) foi o primeiro dos candidatos a discursar. O candidato já havia informado que votaria em Simone Tebet (MDB-MS), mas que manteria sua candidatura para poder usar o tempo de discurso destinados aos candidatos.

Repetindo o que havia dito para o jornal Folha de S.Paulo, Kajuru disse que Alcolumbre foi um "office boy de luxo" do presidente Bolsonaro. E também acusou o atual presidente da Casa de usar cargos e recursos de emendas para comprar apoio para o candidato Rodrigo Pacheco.

"Eu não culpo o MDB. Eu culpo o senhor, que ofereceu a vice-presidência dessa Casa. E aí aconteceu algo que me fez chorar várias noites, com uma mulher honrada", disse, em referência ao fato do MDB ter abandonado sua candidata, Simone Tebet, para negociar com Alcolumbre.