Primeiro caso de Covid-19 na Vila Olímpica aumenta a pressão sobre o COI

·2 minuto de leitura
A general view of the Olympic Rings installed on a floating platform with the Rainbow Bridge in the background in preparation for the Tokyo 2020 Olympic Games in Tokyo, Japan June 21, 2021. Picture taken with long exposure.  REUTERS/Pawel Kopczynski
A general view of the Olympic Rings installed on a floating platform with the Rainbow Bridge in the background in preparation for the Tokyo 2020 Olympic Games in Tokyo, Japan June 21, 2021. Picture taken with long exposure. REUTERS/Pawel Kopczynski

Por Ritsuko Ando 

  TÓQUIO (Reuters) - Os organizadores da Olimpíada de Tóquio relataram neste sábado o primeiro caso de Covid-19 na Vila Olímpica, que se junta a outros 14 novos casos relacionados aos Jogos que começam na próxima semana, causando novas dúvidas sobre as promessas por um evento “seguro”. 

  Os casos mais recente são um golpe duro aos organizadores locais e ao Comitê Olímpico Internacional, que têm insistido que os Jogos não se tornarão um evento responsável pela super-disseminação do vírus. 

Leia também:

  Os organizadores de Tóquio confirmaram que um visitante de outro país trabalhando para a Olimpíada testou positivo em uma checagem de rotina na sexta-feira. A nacionalidade da pessoa não foi revelada para manter a sua privacidade. 

  Os outros casos incluíram dois membros da imprensa, sete empreiteiros e cinco funcionários dos Jogos. 

  O caso na Vila Olímpica, um local de 44 hectares construído na orla marítima de Tóquio, é especialmente preocupante porque a maioria dos 11.000 competidores se hospedará nela. 

  CONTROLE DE DANOS 

  A intenção original da Olimpíada de Tóquio era demonstrar a recuperação do Japão do terremoto e do desastre nuclear de 2011, mas ela tem se tornado um exercício de controle de danos. 

  Adiada por um ano devido à pandemia, está sendo realizada praticamente sem espectadores e sob rígidas regras de quarentena. A maioria dos atletas começa a chegar para os Jogos, que serão realizados entre 23 de julho e 8 de agosto. 

  A população japonesa se mostra preocupada em sediar os Jogos em meio a um ressurgimento de novas infecções por coronavírus e temores de que um influxo de visitantes possa criar um evento superpropagador, pressionando um sistema de saúde já sobrecarregado. 

  Apenas cerca de 20% da população está completamente vacinada. 

  Embora o Japão tenha escapado dos grandes surtos de outros países, registrou mais de 820.000 casos e cerca de 15.000 mortes. O número de novos casos na cidade sede Tóquio, que está em seu quarto estado de emergência por causa do vírus, está acima de 1.000 há quatro dias consecutivos. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos