Primeiro colombiano com doença não terminal morre legalmente por eutanásia

·1 min de leitura

BOGOTÁ (Reuters) - O colombiano Victor Escobar se tornou a primeira pessoa no país andino com uma doença não terminal a morrer por eutanásia legalmente regulamentada na noite de sexta-feira, confirmou seu advogado Luis Giraldo.

Escobar, de 60 anos, sofria de doença pulmonar obstrutiva crônica, que causa uma grande diminuição na qualidade de vida, bem como uma série de outras condições, disse Giraldo à Reuters.

O Tribunal Constitucional da Colômbia removeu as penalidades para a eutanásia sob certas circunstâncias em 1997 e ordenou que o procedimento fosse regulamentado em 2014. A primeira pessoa na Colômbia com uma doença terminal a morrer de acordo com essas regras foi em 2015.

“Alcançamos a meta de pacientes como eu, que não são terminais, mas degenerativos, de vencer essa batalha, uma batalha que abre as portas para os outros pacientes que vêm atrás de mim e que agora desejam uma morte digna”, disse Escobar em mensagem de vídeo enviada à mídia por Giraldo.

O procedimento foi realizado em uma clínica em Cali, capital da província colombiana de Valle del Cauca.

"Não estou dizendo adeus, apenas 'vejo você mais tarde'", disse Escobar.

(Por Oliver Griffin e Luis Jaime Acosta)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos