Primeiro dia de bloqueio total esvazia praias, pontos turísticos e cartões-postais de São Luís nesta terça

Clodoaldo Corrêa, especial para O GLOBO
Bloqueios na avenida Litorânea, na capital maranhense, deixam orla esvaziada

SÃO LUÍS (MA) - O decreto de lockdown mudou a cara da cidade de São Luís nesta terça-feira (5). A capital maranhense e as cidades de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa, que formam a Ilha de São Luís, passaram a adotar as medidas mais severas de isolamento social a partir desta terça-feira.

Deste as primeiras horas da manhã, pelo menos 50 barreiras foram montadas na Ilha. Na Praça dos Pescadores, um dos cartões-postais da Praia de São Marcos e ponto turístico da cidade, ficou marcada pela solidão dos pescadores no monumento. As praias ficaram com acesso bloqueados para automóveis e pedestres.

A reportagem do GLOBO percorreu as principais vias da capital e era clara a diminuição de circulação de veículos e pessoas na cidade. Mas no dia anterior, muitas pessoas “fugiram” do lockdown e o trânsito foi muito intenso na BR-135 ainda na noite desta segunda-feira.

Nos pontos de bloqueio, todos os veículos estão sendo parados para verificar se as pessoas possuem a autorização da empresa que presta serviço essencial para se deslocar. Além de trabalhadores de serviços essenciais, podem circular pessoas para ir às farmácias, serviços de saúde aos supermercados. É preciso comprovar a necessidade por meio de um documento.

Houve muita dúvida sobre como seria a comprovação para fazer compras no supermercado ou ir à farmácia. Mas, quem não tem nenhuma justificativa comprovada para circulação, é obrigado a retornar.

- Neste primeiro dia a determinação é de ação mais educativa do que punitiva, sem multas e apreensão de veículos. Quem não comprova que circula por extrema necessidade é obrigado a retornar. Neste ponto, a maioria tem comprovado que é profissional de saúde, ou mostra uma receita que está indo comprar remédio, na volta, mostra o remédio. Enfim, estamos trabalhando com bom senso e esperando que as pessoas colaborem para que, nos próximos dias, tenhamos uma circulação ainda menor - afirmou o capitão Aurélio, que coordenava uma equipe de 23 policiais militares na barreira montada na rodovia estadual MA-201, que liga São Luís a São José de Ribamar.

Na população abordada, também foi verificada uma boa aceitação. Fernando Moreira, 35 anos, estava de moto e comprovou com a declaração da empresa que trabalhava no serviço de delivery:

- Acho uma medida muito boa. Nós, estamos trabalhando porque precisamos neste momento. Então, agora, pode ser que as pessoas que não precisam fiquem em casa.

Os motoristas de aplicativo e taxistas estão autorizados a circular desde que o passageiro esteja se locomovendo por um dos motivos essenciais.

Pontos de barreira geraram congestionamento

Em muitos pontos de fiscalização, foram formados pontos de congestionamento, porque todos os veículos estavam sendo parados. Na barreira da MA-201, por volta das 10h foram 50 minutos de congestionamento do ponto da barreira ao fim da fila dos carros.

Na BR-135, única entrada terrestre da Ilha de São Luís, a manhã foi bastante tranquila. A estrada teve uma grande movimentação na véspera do lockdown, mas hoje a movimentação foi muito maior de caminhões para o abastecimento.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), avaliou que a medida foi acertada e que a adesão ao isolamento mesmo forçado trará resultado positivo para que o governo possa ter adequação dos leitos.

- Temos a convicção de que teremos um declínio de novos casos e a teremos a adequação entre a capacidade de oferta hospitalar e a superdemanda que temos observado. Sem dúvida, o resultado é positivo e o mais importante foi a alta adesão da população. É uma eficácia bastante expressiva deste instrumento - afirmou.

O lockdown foi fruto de uma decisão judicial acatada pelo governo do Maranhão e vale por dias, podendo ser prorrogado.

O que funciona durante o lockdown

– Supermercados, feiras, quitandas e estabelecimentos semelhantes; delivery de alimentos; venda de produtos de limpeza e de higiene pessoal;

– Hospitais, clínicas e laboratórios; farmácias; clínicas veterinárias para casos urgentes;

– Postos de combustíveis; abastecimento de água e luz; coleta de lixo; imprensa; serviços funerários; telecomunicações; segurança privada;

– Serviços de manutenção, segurança, conservação, cuidado e limpeza em ambientes privados (empresas, residências, condomínios);

– Oficinas e borracharias; pontos de apoio para caminhoneiros nas estradas, como restaurantes e pontos de parada;

– Serviços de lavanderia; comércio de álcool em gel; indústrias do setor de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza