Primeiro dia de feriadão antecipado em SP registra 51% de taxa de isolamento social

Silvia Amorim
Ciclofaixa de lazer da Avenida Sumaré, em São Paulo, no primeiro dia do feriadão forçado

SÃO PAULO - No primeiro dia do feriadão antecipado na capital paulista, a taxa de isolamento social teve um ligeiro crescimento, registrando 51% de adesão nesta quarta-feira. O índice, entretanto, ainda está aquém do que se registrou no último domingo (56%) e do que é esperado pela autoridades sanitárias (55%) para diminuir o avanço da doença na cidade.

O governador de São Paulo, João Doria, pediu calma nesta quinta-feira e defendeu que uma avaliação da efetividade da medida seja feita somente após a próxima segunda-feira, quando termina o feriado prolongado. Ele voltou a apelar para que a população fique em casa nos próximos dias, argumentando que feriados foram antecipados para tentar controlar a epidemia do novo coronavírus e não para lazer das pessoas.

Desde quarta-feira,a cidade de São Paulo, está sob regime de feriado. Os recessos de Corpus Christi e da Consciência Negra foram antecipados para essa semana.

Nesta quinta-feira, a Assembleia Legislativa se prepara para votar um projeto de lei que antecipa o feriado estadual de 9 de Julho para a próxima segunda-feira, criando, assim, um feriado de seis dias na capital paulista.

Na região metropolitana prefeitos também conseguiram antecipar o feriado de Corpus Christi para esta sexta-feira para tentar reduzir a circulação de pessoas na capital paulista.Nesta quinta-feira, a taxa de ocupação dos leitos de UTI era de 73% no estado e 89% na região metropolitana de São Paulo. O estado tem 73.739 casos de Covid-19 confirmados e 5.558 óbitos.