Htin Kyaw renuncia à presidência de Mianmar para "descansar"

Bangcoc, 21 mar (EFE).- O presidente de Mianmar, Htin Kyaw, renunciou para "descansar", como afirma nesta quarta-feira em uma mensagem da página do Facebook do gabinete da presidência do país.

A renúncia acontece depois que o governo da Liga Nacional pela Democracia (NLD), da vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, admitisse que Htin Kyaw tinha viajado várias vezes para o exterior com o objetivo de submeter-se a tratamento médico.

A versão digital do jornal "Frontier Myanmar" diz que a última viagem feita para o exterior por esse motivo foi em janeiro, quando esteve em Cingapura.

Considerado um homem de confiança de Suu Kyi, Htin Kyaw, de 71 anos, foi nomeado em março de 2016 como presidente, um cargo que em Mianmar tem principalmente um caráter representativo, não executivo.

De acordo com a constituição do país, o novo presidente deve ser nomeado pelo parlamento em um prazo máximo de sete dias. EFE