Primeiro-ministro australiano nega pedido de Pamela Anderson para repatriar Assange

(Arquivo) O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, em uma entrevista coletiva com o presidente dos EUA, Donald Trump, em Washington

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, afirmou nesta quarta-feira que seu governo não vai atuar no caso de Julian Assange, como solicitou a atriz Pamela Anderson ante o risco de uma extradição aos Estados Unidos.

"A Austrália não está legitimada e não pode intervir nos procedimentos legais do senhor Assange", destaca Morrison em uma carta obtida pelo jornal The Australian.

"O local apropriado para o sr. Assange apresentar suas preocupações sobre a legalidade de suas ações, ou sobre o tratamento pela lei, é através dos processos legais, que devem seguir seu curso", completou.

Assange, de 48 anos, está detido em Londres e é alvo de um pedido de extradição para os Estados Unidos, onde pode ser condenado por espionagem.