Primeiro-ministro da Bavária afirma que não haverá prazo para novas checagens na fronteira

·1 minuto de leitura

SCHIRNDING, Alemanha (Reuters) - A Bavária, no sudeste da Alemanha, não colocou um prazo para novas checagens a viajantes da República Tcheca e de Tirol, na Áustria, que entraram em vigor a partir deste domingo para conter a disseminação de variantes do coronavírus, afirmou o premier do estado, Markus Söder.

Söder afirmou em entrevista coletiva em Schirnding, na fronteira com a República Tcheca, que pouca coisa havia sido feita em regiões no outro lado da fronteira para conter a pandemia.

“As medidas ficarão em vigor enquanto forem necessárias”, disse. “Os desafios estão ficando maiores. Precisaremos ter um regime da entrada mais rígido”.

Seus comentários foram feitos depois de o governo tcheco chegar a um acordo de última hora com governadores regionais para declarar um novo estado de emergência de 14 dias e evitar um fim caótico das medidas de lockdown.

Os bávaros permitem a entrada de motoristas de caminhão, cidadãos alemães e pessoas que cruzam a fronteira para trabalhar, desde que possuam certificados de testes negativos, e quem, sob demanda, teste negativo, mas recusam todos os outros.

Até a quarta-feira, a Bavária definirá modalidades práticas de longo prazo para trabalhadores que regularmente cruzam a fronteira e que atuam no setor de saúde ou em empresas envolvidas em produtos relacionados à pandemia, afirmou o ministro do Interior do estado, Joachim Herrmann.

O fechamento das fronteiras foi anunciado na quarta-feira quando políticos federais e regionais chamaram-no de inevitável por causa do alto índice de incidência das regiões.

O ministro federal do Interior, Horst Seehofer, afirmou separadamente que a polícia da fronteira esperava alguns engarrafamentos e períodos de espera ocasionais, mas que a “polícia não pode simplesmente deixar os carros passarem”.

(Reportagem de Vera Eckert, Christian Kraemer e Reuters TV; Edição de Emelia Sithole-Matarise)