Primeiro-ministro grego acusa Putin de fabricar a história

Os líderes dos países dos Balcãs Ocidentais reuniram-se em Salónica para a cimeira do Processo de Cooperação do Sudeste europeu (SEECP) que visa, por um lado, reforçar os seus objetivos em relação à União Europeia, por outro, manter os canais de comunicação abertos num momento geopolítico crucial.

Um evento onde esteve presente o presidente do Conselho da UE, Charles Michel, mas não o chefe de Estado turco Recep Tayyip Erdogan.

O anfitrião, o primeiro-ministro grego enviou uma mensagem clara em nome de todos os participantes sobre a guerra na Ucrânia.

"Na terceira década do século XXI ninguém pode aceitar um revisionismo de tipo déspota que ameaça, não só, o equilíbrio geopolítico internacional mas também fronteiras aceitáveis, sobre as quais o mundo moderno foi construído. A história não pode ser reescrita só porque alguém a fabrica, arbitrariamente, na sua mente".

Na declaração final da cimeira, os países participantes condenaram a invasão russa da Ucrânia e sublinharam uma visão comum em relação à perspetiva europeia para toda a região.

Mitsotakis disse que 2033 poderá ser um ano marcante em que todos os países dos Balcãs Ocidentais estarão juntos na União Europeia. Nas redes sociais afirmava que a sua mensagem é clara, a UE tem de cumprir a promessa feita em Salónica a estes países.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos