Primeiro-ministro iraquiano apela à calma

Milhares de seguidores do influente clérigo xiita, Moqtada al-Sadr, ocuparam o parlamento iraquiano pela segunda vez esta semana.

Os ativistas insurgem-se contra os esforços de formação de governo liderados por uma aliança de grupos apoiados pelo Irão.

O primeiro-ministro apelou à calma.

"É um momento muito difícil. É a verdade amarga, infelizmente. Todos temos de cooperar e permanecer juntos, para não nos empurrarmos para o abismo. Temos de julgar pelas nossas mentes, pelas nossas consciências e pelos nossos sentimentos e mantermo-nos fiéis ao Iraque e aos iraquianos, e não a interesses mesquinhos", afirmou o primeiro-ministro em exercício, Mustafa al Kadhimi que sublinhou a necessidade de diálogo.

"Apelo a todos para que sejam pacientes, calmos e racionais, não sendo atraídos para um confronto.
Apelo aos cidadãos para que não entrem em conflito com as forças de segurança e para que respeitem as instituições do Estado", acrescentou al Kadhimi.

Os manifestantes protestam contra o candidato a primeiro-ministro proposto pela aliança e que seria leal ao Irão.

A União Europeia e as Nações Unidas apelaram ao diálogo como forma de ultrapassar o impasse político que dura há cerca de 10 meses.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos