Primeiro-ministro israelense Lapid parabeniza Netanyahu por vitória eleitoral

Imagem de arquivo: O líder do Likud, Benjamin Netanyahu, na sede de seu partido após a eleição geral em Israel.

Por Dan Williams

JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro de Israel, Yair Lapid, parabenizou nesta quinta-feira Benjamin Netanyahu por sua vitória nas eleições do país, depois que os resultados finais confirmaram o retorno triunfante do ex-primeiro-ministro à frente de uma aliança solidamente de direita.

A vitória de Netanyahu deve encerrar um impasse sem precedentes em Israel, após cinco eleições em menos de quatro anos.

Desta vez, Netanyahu, o político israelense mais dominante de sua geração, conquistou uma clara maioria parlamentar, impulsionada por partidos ultranacionalistas e religiosos.

A votação da última terça-feira viu Lapid, e sua rara aliança de conservadores, liberais, e políticos árabes que, depois de mais de 18 meses no poder, fizeram incursões diplomáticas com a Turquia e o Líbano e mantiveram a economia funcionando.

Com o conflito com os palestinos ressurgindo e provocando tensões entre judeus e árabes dentro de Israel, o Likud de Netanyahu, de direita, e partidos alinhados garantiram 64 dos 120 assentos do Knesset.

Netanyahu ainda precisa ser oficialmente encarregado pelo presidente de formar um governo, um processo que pode levar semanas.

"Chegou a hora de impor a ordem aqui. Chegou a hora de haver um senhorio", tuitou Itamar Ben-Gvir, do partido de extrema-direita Sionismo Religioso, provável principal parceiro do Likud.

Ben-Gvir estava respondendo a um esfaqueamento relatado pela polícia de Jerusalém. Na Cisjordânia, tropas mataram um militante da Jihad Islâmica e um homem de 45 anos em um incidente separado, disseram médicos. Questionado sobre a última morte, o exército disse que abriu fogo quando os palestinos os atacaram com pedras e coquetéis molotov.

No final da noite, sirenes de ataques aéreos soaram no sul de Israel depois que militantes em Gaza dispararam um foguete que aparentemente foi interceptado por defesas antimísseis, disseram os militares.

Um colono da Cisjordânia e ex-membro do Kach, um grupo militante judeu nas listas de terroristas israelenses e norte-americanos, Ben-Gvir quer se tornar ministro da Polícia.

(Reportagem adicional de Ali Sawafta e Nidal-al-Mughrabi)