Primeiro-ministro tailandês se recusa a renunciar e protestos continuam

·1 minuto de leitura
Protesto pró-democracia em Bangcoc, Tailândia, em 25 de outubro de 2020
Protesto pró-democracia em Bangcoc, Tailândia, em 25 de outubro de 2020

Os manifestantes tailandeses convocaram novos protestos neste domingo (25) depois que o primeiro-ministro se negou a renunciar, como pede o movimento que abala o reino para exigir mais democracia e uma reforma da monarquia.

Na tarde deste domingo está prevista uma nova manifestação em Bangcoc, anunciaram os organizadores.

Na segunda-feira, os manifestantes planejam marchar rumo à embaixada da Alemanha, um novo sinal de desafio ao rei, Maha Vajiralongkorn, que costuma visitar frequentemente este país.

Os manifestantes, que protestam desde o verão, exigem a renúncia do chefe de governo, Prayut Chan-O-Cha, no poder desde o golpe de Estado de 2014 e legitimado por eleições polêmicas no ano passado.

"Não renunciarei", disse o primeiro-ministro no sábado à noite, ignorando o ultimato de três dias estabelecido pelos ativistas pró-democracia.

tp-sde/plh/af/rsr/aa