Primeira-ministra da Dinamarca pede desculpas após ser flagrada sem máscara em loja

·1 min de leitura

A primeira-ministra dinamarquesa Mette Frederiksen pediu desculpas nas redes sociais, neste sábado (4), por ter sido filmada sem máscara em uma loja. O país acabou de reintroduzir medidas de restrição sanitária para barrar a nova onda de Covid-19. A Dinamarca bateu novo recorde de casos da doença na quarta-feira (1).

“Eu sei que isso pode acontecer com todo mundo, mas, em princípio, não deve acontecer comigo”, declarou no Twitter, agradecendo os cidadãos dinamarqueses pelos esforços feitos na luta contra a pandemia.

O vídeo, publicado pelo jornal dinamarquês Ekstra Bladet, foi feito na sexta-feira (3) por um transeunte, através da vitrine de uma loja de roupas no centro de Copenhague, quatro dias após a volta da obrigação do uso de máscaras em lugares fechados e transportes públicos no país.

"Foi simplesmente um esquecimento, depois que as novas regras entraram em vigor. Eu só percebi porque um cidadão me filmou", reagiu rapidamente Frederiksen nas redes sociais.

Crise dos visões

O lapso da premiê acontece em um momento delicado. Ela será ouvida por uma comissão parlamentar, na próxima semana sobre o abate em massa de visões em 2020, que gerou uma crise política no país.

Mais de 15 milhões de animais foram abatidos depois que uma mutação do coronavírus foi encontrada em fazendas. A medida foi fatal para os criadores da Dinamarca, um dos maiores produtores de peles de visão do mundo.


Leia mais

Leia também:
Conheça lei aprovada na Dinamarca para evitar lavagem de dinheiro e vício em jogos
Partido de extrema-direita da Dinamarca quer projeto de lei para expulsar milhares de imigrantes
Dinamarca proíbe influenciadores de fazer publicidade de procedimentos estéticos para menores de 18 anos

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos