Primo de Ustra está entre os militares exonerados por Lula

Entre os militares dispensados nesta terça-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva está um parente do torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, homenageado por Jair Bolsonaro em várias ocasiões. O coronel Marcelo Ustra da Silva Soares, exonerado no Diário Oficial da União (DOU), é primo do ex-agente da ditadura, segundo a CBN.

Presidente do TSE: 'Instituições não são feitas só de tijolos', afirma Alexandre de Moraes sobre ataques ao STF

Doceira, apoiador de Daciolo e influenciador de direita: Saiba quem são os bolsonaristas alvos da PF no RJ

Nas redes sociai, Marcelo Ustra demonstrou, em algumas ocasiões, ser apoiador do ex-presidente da República. Também fez publicações endossando a candidatura do ex-vice-presidente Hamilton Mourão ao Senado nas eleições do ano passado.

O coronel Brilhante Ustra foi chefe do Doi-Codi e apontado por dezenas de perseguidos políticos e familiares de vítimas do regime militar como responsável pelas perseguições, tortura e morte de opositores do golpe de 64. Ustra era conhecido nos porões da ditadura como “Dr. Tibiriçá”.

Ele era o único militar brasileiro declarado torturador pela Justiça. Morto em 2015, foi elogiado diversas vezes por Bolsonaro.

Na véspera de atos terroristas: PF alertou que 'indivíduos armados' planejavam danificar Planalto, Congresso e STF

Mais cedo, Lula dispensou 40 integrantes das Forças Armadas que atuavam na Coordenação de Administração do Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República.

O departamento é vinculado à Secretaria-Geral da Presidência da República. Lula e a primeira-dama, Rosângela Silva, a Janja, planejam se mudar para o local depois da viagem para a Argentina, no dia 25 de janeiro. Também foram dispensados mais três militares do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) que atuam na Coordenação-Geral de Operações de Segurança Presidencial.