Princesa de bateria da Paraíso do Tuiuti tem torcida de comunidade e famosas para 'destronar' rainha

·2 minuto de leitura

Ainda é cedo para falar sobre carnaval já que ainda não estamos livres da pandemia do coronavírus. Mas nos bastidores do samba, os desfiles de 2022 são dados como certos e as disputas internas já acontecem livremente. Na Paraíso da Tuiuti, grande parte da comunidade deixou a Princesa de Bateria Mayara Lima numa saia-justa. Eles querem que ela substitua a rainha, Thay Magalhães. O problema é que, segundo fontes da escola, a moça desembolsou R$ 500 mil pelo cargo.

Cria da escola, Mayara é casada com o filho do presidente da agremiação, mas nem por isso teve regalias ou chegou perto do lugar mais cobiçado pelas beldades que fazem do carnaval uma vitrine. Professora de dança e um samba no pé que deixa qualquer rainha iniciante com vergonha, a passista vem sendo elogiada por outras rainhas e musas cariocas, como Quitéria Chagas, Gracyanne Barbosa, Darlin Ferratry, Evelyn Bastos e Lexa.

Há quem diga que o clima para Thay nos eventos da escola não é dos melhores. A dentista é uma novata na área e já arrumou alguns desafetos. Entre eles a própria Lexa. É que Thay teria oferecido a mesma quantia paga para a Tuiuti para sambar á fente da bateria da Unidos da Tijuca.

MC Rebecca deixou o comentário que representa muitos torcedores da Tuiuti: "A rainha de verdade". "A diretoria da escola comprou um barulho horrível com a comunidade, que não quer a Thay na escola. E pior, não traz nenhum retorno de mídia como as rainhas famosas. Então, por que não trocam?", questiona uma fonte ligada à escola.

A própria agremiação parece constrangida com a escolha. Até hoje apenas uma foto de Thay foi postada no Instagram oficial da Tuiuti. Ao lado dela, Mestre Marcão, da bateria, e Mayara, a princesa que ainda não foi promovida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos