Principais ataques do EI no Afeganistão

·2 minuto de leitura
O braço do Estado Islâmico no Afeganistão reivindicou vários atentados violentos nos últimos anos (AFP/WAKIL KOHSAR)

Antes do atentado que matou dezenas de pessoas no aeroporto de Cabul na quinta-feira, o braço afegão do grupo do Estado Islâmico, EI-K, reivindicou ou foi responsabilizado por muitos ataques no Afeganistão.

Muitos causaram comoção, como o de maio de 2020 contra uma maternidade em um bairro predominantemente xiita da capital, que matou 25 pessoas, incluindo 16 mães e recém-nascidos. O EI-K é suspeito de estar por trás desse ataque.

Segue uma recapitulação dos ataques mais sangrentos reivindicados ou suspeitos de autoria da organização nos últimos cinco anos.

- 2021: Terror em uma escola -

Em 8 de maio, uma série de explosões do lado de fora de uma escola no oeste de Cabul matou pelo menos 85 pessoas, a maioria estudantes jovens, e feriu 300.

Há fortes suspeitas de que o EI realizou o ataque.

- 2019: Massacre em um casamento -

Em 17 de agosto de 2019, um atentado suicida matou 91 pessoas e feriu 180 pessoas em um casamento com 1.000 convidados no oeste de Cabul.

O bombardeio foi reivindicado pelo braço afegão do EI, que alegou ter como alvo os xiitas, frequentemente atacados pelo EI, formado por radicais islâmicos sunitas.

- 2018: Ataque suicida em eleições -

Em 22 de abril, um camicaze detonou os explosivos que levava consigo no meio de uma multidão em frente a um centro de contagem eleitoral em um bairro predominantemente xiita de Cabul, matando mais de 60, todos civis. O EI assumiu a responsabilidade pelo atentado suicida.

- 2017: Massacre em hospital -

Em 8 de março, quatro agressores disfarçados de equipe médica atacam o maior hospital militar de Cabul, uma operação reivindicada pelo EI. O ataque causou 50 mortes, de acordo com o balanço oficial, ou mais de 100, de acordo com as forças de segurança.

O ataque, que durou seis horas, começou com uma primeira explosão provocada por um camicaze nos fundos do hospital, por onde entrou um comando para matar pacientes, profissionais de saúde e visitantes, alguns com faca e baioneta e outros com rifles e granadas.

- 2017: Mesquita xiita -

Em 20 de outubro, um ataque a uma mesquita xiita no oeste de Cabul causou 56 mortes e 55 feridos, incluindo mulheres e crianças, durante as orações noturnas na mesquita Imam Zaman.

O EI assumiu a responsabilidade pelo ataque.

- 2017: Cerimônia xiita -

Em 28 de dezembro, um ataque suicida a um centro cultural xiita em Cabul causou 41 mortes e 84 feridos. Foi reivindicado pelo EI e também afetou a Agência de Voz Afegã, uma rede contrária ao EI, cujas instalações ficavam ao lado.

- 2016: Ataque a manifestação hazara -

Em 23 de julho, um duplo ataque suicida em Cabul contra uma manifestação da minoria xiita Hazara deixou 84 mortos e 320 feridos. O atentando foi reivindicado pelo EI.

ang/cds/lb/eg/mis/jc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos