Yellen diz que grandes economias deveriam gastar mais para garantir recuperação robusta

Andrea Shalal e David Lawder
·2 minuto de leitura
Secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen

Por Andrea Shalal e David Lawder

WASHINGTON (Reuters) - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, alertou nesta quinta-feira para o risco de uma divergência permanente na economia global na esteira da crise de Covid-19, e pediu às principais economias que injetem quantias significativas de novo suporte fiscal para garantir uma recuperação robusta.

Em comunicado para comitês do Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial, Yellen destacou a necessidade de as grandes economias continuarem ajudando os países em desenvolvimento conforme eles lutam com a pandemia de Covid-19, a mudança climática e o fardo da dívida.

Ela pediu ao Banco Mundial que ajude os países, em especial os mais pobres, para que recebam acesso oportuno a vacinas contra a Covid-19, e defendeu negociações aceleradas para reabastecer o fundo do Banco Mundial para países mais pobres - meta que o banco pretende atingir até dezembro.

Os Estados Unidos prometeram 4 bilhões de dólares para a iniciativa de distribuição global de vacinas Covax Facility, disse Yellen, incentivando outros a aderirem.

Ela sinalizou que os EUA, que até agora só distribuíram vacinas para o México e Canadá, pode fornecer doses extras a outros países no futuro.

"Os Estados Unidos continuarão a trabalhar com parceiros para aumentar o fornecimento de vacinas, explorar o compartilhamento de vacinas excessivas e garantir que o financiamento não se torne um obstáculo para a vacinação global", disse Yellen, sem dar mais detalhes.

Os comentários de Yellen refletem o foco do governo Biden em obter uma forte cooperação internacional para enfrentar os desafios globais - bem diferente da abordagem de "agir sozinho" perseguida pelo governo do ex-presidente Donald Trump.

"A crise da Covid-19 acentuou a tendência de aumento da desigualdade de renda, levantando preocupações sobre um caminho divergente dentro e entre os países. Também enfrentamos a ameaça existente das mudanças climáticas. Só podemos resolver esses problemas por meio de uma forte cooperação internacional", disse Yellen em comentários preparados para sua primeira reunião com o Comitê Monetário e Financeiro Internacional do FMI e o Comitê de Desenvolvimento do Banco Mundial.

A ex-chefe do Federal Reserve disse que o apoio fiscal e monetário substancial das principais economias melhorou significativamente as perspectivas econômicas globais, mas que mais esforços são necessários.((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2984)) REUTERS PVB CMO