Principais referências feitas no discurso do chanceler Ernesto Araújo

1 / 1
Principais referências feitas no discurso do chanceler Ernesto Araújo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ao assumir o cargo de ministro de Relações Exteriores, nesta quarta-feira (2), Ernesto Araújo disse que irá libertar o Itamaraty da mesma maneira que o governo de Jair Bolsonaro "está libertando o Brasil".

O chanceler defendeu uma redescoberta do Brasil pelos brasileiros e uma contraposição do país ao que ele chama de globalismo, em detrimento da pátria.

Eis as principais referências feitas pelo chanceler.

1 - "Conhecereis a verdade e verdade vos libertará"

Araújo cita, em grego, versículo do capítulo 8 do Evangelho de São João, que relata discurso de Jesus no Monte das Oliveiras: Gnosesthe ten aletheian kai he aletheia eleutherosei humas".

Mais tarde, volta a se referir ao Evangelho de São João, ao mencionar sua abertura, que diz "no começo era a palavra" (em grego, "en archê ên ho logos"), para dizer que palavra está aprisionada, mas que o governo Bolsonoro, e o Itamaraty, a libertarão.

2 - Renato Russo

O chanceler cita trecho da letra da música Monte Castelo, que por sua vez traz citações do poeta português Luís Vaz de Camões e do capítulo 11 da Carta de São Paulo aos Coríntios, da Bíblia. O trecho citado é "é só o amor, é só o amor que conhece o que é verdade".

3 - Ave Maria em tupi

É citada a versão original em tupi do Padre José Anchieta para a Ave Maria, onde ele traduz Maria por Jaci, e Jesus por Tupã.

O discurso termina com nova citação à oração: "Anuê Jaci".

4 - "Independência ou Morte"

Filme estrelado por Tarcísio Meira, no papel de dom Pedro 1º, e Glória Menezes, no papel da Marquesa de Santos. Dirigido por Carlos Coimbra, o filme foi lançado em setembro em 1972.

5 - Ministerio del Tiempo

Série de ficção científica lançada pela TV espanhola e depois comprada pela Netflix, em que membros do órgão tentam solucionar incidentes provocados pela viagem no tempo.

6 - Ordem de Rio Branco

Cita inscrição no brasão da Ordem de Rio Bracno, Ubique Patriae Memor, que, segundo o site do Itamaraty, quer dizer "Em qualquer lugar, terei sempre a Pátria em minha lembrança". A ordem foi instituída em 1963, com o objetivo de, 'ao distinguir serviços meritórios e virtudes cívicas, estimular a prática de ações e feitos dignos de honrosa menção".

7 - Mídia internacional

Cita a revista Foreign Affairs, o jornal "The New York Times" e a rede de TV americana CNN como exemplos de influências que devem ser minimizadas, em prol referências nacionais, como Clarice Lispector, José de Alencar, Cecília Meireles, Gonçalves Dias e Raul Seixas.

Deste último, parafraseou trecho da música Ouro de Tolo, de 1973: "Eu é que não me sento num trono de um apartamento com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar".

8 - Telenovela

O chanceler faz referência a uma versão dos anos 1960 da novela "O direito de nascer". Ela foi produzida pela Tupi em 1964 e protagonizada por Amilton Fernandes e Nathalia Timberg, e em 1966 pela TV Paraná, tendo como protagonistas Airton Muller, Aracy  Pedrozo e Odelair Rodrigues.

A trama é de uma mãe que, diante da recusa do namorado em assumir a criança, acaba doando-a e virando irmã de caridade. Originalmente a história se passa em Cuba no início do século 20.

8 - Olavo de Carvalho 

Faz referência ao ideólogo conservador que é guru do governo Bolsonaro e da chamada "nova direita".

9 - Governos europeus de direita

Fala em "admiração" pela "nova Itália", a Hungria e a Polônia, países com governos conservadores de direita.