Principal órgão de direitos humanos da ONU realizará sessão urgente sobre Sudão na sexta-feira

·1 min de leitura

GENEBRA (Reuters) - O Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas realizará uma sessão de emergência sobre o Sudão na sexta-feira, a pedido de Reino Unido e de outros países após o golpe militar da semana passada, informou um comunicado da ONU nesta terça-feira.

O pedido do Reino Unido, apresentado na segunda-feira, foi em nome de 18 Estados membros, mais do que um terço exigido para convocar uma sessão especial do fórum de Genebra de 47 membros, incluindo o Sudão. Foi apoiado por 30 países com status de observador, incluindo os Estados Unidos.

Na terça-feira, a missão permanente do Sudão na ONU em Genebra distribuiu um aviso a outras delegações anunciando que havia retirado seu embaixador. O Sudão não apareceu na lista da ONU de 17 países que apoiaram a realização da sessão.

Na semana passada, os militares sudaneses tomaram o poder por meio de um golpe, prendendo autoridades civis e políticos e prometendo estabelecer um novo governo de tecnocratas. O golpe de 25 de outubro foi recebido com oposição e manifestações de rua na última passada.

Jeffrey Feltman, enviado especial dos Estados Unidos para o Chifre da África, disse na terça-feira que os militares sudaneses mostraram "contenção" em sua resposta às manifestações no sábado, o que ele disse ser um sinal de potencial para um retorno ao compartilhamento de poder com civis.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos