Principal linha de energia da usina nuclear de Zaporizhzhia foi reativada, diz agência da ONU

Por Francois Murphy

VIENA (Reuters) - Uma das quatro principais linhas de energia da usina nuclear de Zaporizhzhia, sob controle da Rússia, foi reparada e está mais uma vez fornecendo eletricidade da rede ucraniana à usina, duas semanas depois de ter parado de funcionar, disse a agência nuclear da ONU neste sábado.

Embora seis reatores de Zaporizhzhia, maior usina nuclear da Europa, tenham sido desligados, o combustível que existe neles ainda precisa ser resfriado para evitar um desastre potencialmente catastrófico. Isso significa que a usina precisa de eletricidade para bombear água ao núcleo dos reatores.

O fornecimento de energia de Zaporizhzhia tem sido uma fonte de muita preocupação, depois de a principal linha de energia parar de funcionar. Posteriormente, três linhas de apoio que podem conectá-la a uma usina de carvão também foram desconectadas.

Isso levou a usina a entrar no que é chamado de “modo ilha”, no qual seu último reator em operação fornece energia para ela, mas não é um modo sustentável. Uma linha de apoio foi reconectada uma semana trás, permitindo que aquele reator também fosse desligado.

"Com a reconexão da linha principal na tarde de ontem, as três linhas de energia de backup estão novamente sendo mantidas em reserva", disse a Agência Internacional de Energia Atômica em comunicado.

"As outras três principais linhas de energia externas de 750 kV (quilovolts) que foram perdidas anteriormente durante o conflito permanecem inoperantes", acrescentou.

Os governos da Rússia e da Ucrânia culparam um ao outro pelo bombardeio no local da usina nuclear de Zaporizhzhia que danificou o prédio e fez com que as linhas de energia fossem desconectadas.