Principal negociador republicano deixa conversas sobre armas no Senado dos EUA

WASHINGTON (Reuters) - O principal negociador republicano nas conversas sobre o projeto de lei bipartidário de segurança de armas no Senado dos Estados Unidos deixou as negociações nesta quinta-feira, diminuindo a probabilidade de uma votação sobre a legislação antes do recesso de duas semanas em 4 de julho.

O senador John Cornyn disse a repórteres que não havia abandonado as negociações, mas que estava retornando ao Texas em meio à dificuldade de chegar a um acordo.

"É pegar ou largar", disse ele. "Eu não sei o que eles têm em mente, mas eu cansei de falar."

Outros senadores permaneceram reunidos dentro da sala.

O grupo bipartidário tem trabalhado em um acordo para conter a violência armada desde que um atirador matou 19 crianças de uma escola e dois adultos em Uvalde, no Texas, apenas 10 dias após um outro atirador matar 10 pessoas em um ato racista de violência contra negros em Buffalo, Nova York.

No domingo, o grupo anunciou linhas gerais com medidas para conter a violência armada. A proposta não foi tão longe quanto os democratas esperavam, incluindo o presidente norte-americano, Joe Biden, mas ainda seria a ação mais significativa para combater a violência armada a sair do Congresso em anos, caso aprovada.

(Reportagem de David Morgan)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos