Principal opositor do Mali morre vítima da covid-19

·1 minuto de leitura
Sumaila Cissé durante protesto em Bamako em 18 de agosto de 2018

O principal opositor do governo do Mali, Sumaila Cissé, que foi sequestrado por extremistas durante seis meses, faleceu nesta sexta-feira na França aos 71 anos em consequência da covid-19.

"Sumaila Cissé, líder da oposição no Mali, faleceu hoje na França, para onde havia sido transferido para receber tratamento contra a covid-19", afirmou à AFP uma fonte da família.

"Confirmo esta notícia terrível. Ele morreu. Sua esposa, que está na França, confirmou", disse uma fonte de seu partido, União pela República e a Democracia (URD).

Figura importante da oposição, Sumaila Cissé foi sequestrado em 25 de março, quando fazia campanha par as eleições legislativas na região de Timbuktu.

Ele foi liberado em outubro, depois de passar seis meses em cativeiro sob poder dos jihaditas. Ele recuperou a liberdade ao lado da francesa Sophie Pétronin e de dois italianos, em troca de 200 detentos de vários grupos jihadistas.

Sumaila Cissé, que foi líder da oposição no Parlamento, ficou em segundo lugar em três eleições presidenciais. Nas votações de 2013 e 2018 foi derrotado por Ibrahim Bubacar Keita, que foi derrubado em 18 de agosto por um grupo de militares.

Formado em Engenharia de Computação, Cissé estudou no Senegal e na França, países em que trabalhou para empresas como IBM, Péchiney e Thomson, antes de retornar ao Mali.

sd/ah/mrb/sst/age/bc/fp