Principal suspeito de ataque com caminhão em Estocolmo admite ato terrorista, diz advogado

Um homem coloca flores em veículo da polícia, próximo a loja de departamento atingida por ataque com caminhão em Estocolmo. 10/04/2017 REUTERS/Philip O'Connor

ESTOCOLMO (Reuters) - O principal suspeito do ataque com caminhão em Estocolmo que matou quatro pessoas e deixou 15 feridos, Rakhmat Akilov, admitiu ter cometido um crime terrorista, disse o advogado dele a um tribunal nesta terça-feira.

A polícia acredita que Akilov, um homem de 39 anos da república do Uzbequistão, era o motorista do caminhão de cerveja roubado que atropelou pedestres em uma rua movimentada da capital da Suécia na sexta-feira, antes de invadir uma loja de departamento.

"Ele admite ter cometido um crime de terrorismo e, portanto, aceita que ele ficará detido", disse Johan Eriksson, o advogado de Akilov, em uma audiência para decidir se o suspeito ficará ou não detido.

Akilov, que entrou na sala do tribunal com um suéter verde sobre a cabeça antes de sentar entre seu advogado e tradutor, foi preso uma hora após o ataque.

Akilov já era procurado pela polícia por ter deixado de cumprir um mandado de deportação.

Os serviços de segurança disseram que ele já havia expressado solidariedade a organizações extremistas, entre elas o Estado Islâmico, mas que ele não era visto como uma ameaça militar.

Akilov havia pedido para que seu advogado de defesa fosse substituído por um muçulmano sunita, mas a corte negou seu pedido, segundo documentos.

O ataque destruiu qualquer noção que a Suécia tinha de estar isolada da violência militar que tem atingido outras partes da Europa, mas políticos tomaram uma postura desafiante, dizendo que o país vai continuar sendo uma sociedade aberta e tolerante.

(Reportagem da Redação de Estocolmo)