Prints mostram diálogo de homem que estuprou vítimas em falsas entrevistas de emprego

Homem estuprou vítimas após atraí-las para entrevista - Foto: Reprodução
Homem estuprou vítimas após atraí-las para entrevista - Foto: Reprodução
  • Homem estuprou candidatas a uma falsa vaga de emprego em São Paulo

  • Prints liberados pela polícia mostram as conversas entre o criminoso e as vítimas

  • O rapaz foi preso na última sexta-feira em Campinas

A Polícia Civil divulgou parte das conversas entre as vítimas e o criminoso de 22 anos que estuprava mulheres durante entrevistas de empregos falsas em São Paulo. Ele foi preso na última sexta-feira (16).

O suspeito anunciava as vagas em sites de vagas de emprego para recepcionistas, atendentes e trabalhos de home office, segundo o delegado responsável pelo caso, Alexandre Bento, do 56º DP.

Os contatos eram feitos pelas mulheres por meio de WhatsApp. As conversas, divulgadas nesta terça-feira (20) pelo g1, mostram que o criminoso dava todos os detalhes do suposto emprego e até se oferecia para promover treinamento às vítimas.

Com as candidatas convencidas de que a oportunidade era real, o homem marcava uma entrevista. Os locais em que as recebia eram espaços alugados por diárias por meio de um aplicativo, normalmente na Zona Leste da capital paulista.

Às mulheres que iam à entrevista, o criminoso afirmava que era ali que ele trabalhava de home office. Momentos depois, porém, as trancava em um quarto e as estuprava sob ameaça de golpeá-las com um canivete.

A investigação concluiu que ao menos cinco pessoas foram violentadas pelo jovem, sendo que duas delas já foram encontradas.

O criminoso foi localizado e preso na última sexta em Campinas, no interior de São Paulo. Ele já respondia a um processo por estelionato no Rio de Janeiro.

Estupro, assédio e importunação sexual: qual a diferença?

De acordo com o artigo 233 do Código Penal, o estupro é qualquer atitude libidinosa que constrange alguém mediante violência ou ameaça, a manter relação sexual ou permitir com que se pratique outros atos correspondentes.

O regulamento prevê ainda quatro modalidades diferentes do crime: estupro simples, de vulnerável, coletivo e corretivo.

A carta apresenta ainda, a pena de seis a dez anos para quem cometer o primeiro delito. Se a vítima for maior de 14 anos, mas menos de 18, a reclusão passa a ser de 8 a 12 anos. Caso tenha menos de 14 anos, pode-se pegar de 8 a 15 anos de sentença, e se o crime for classificado como coletivo ou corretivo, as punições aumentam de um a dois terços da original.

Apesar de muitas pessoas confundirem o estupro com assédio ou importunação sexual, os crimes não são os mesmos. Veja abaixo as diferenças:

O que é estupro?

De acordo com o artigo 233 do Código Penal, o estupro é qualquer atitutde libidinosa que constragen alguém mediante violência ou ameaça, a manter relação sexual ou permitir com que se pratique outros atos correspondentes.

Vale ressaltar que a carta apresenta quatro modalidades do crime, sendo eles, simples, de vulnerável, coletivo e corretivo.

A pena pode variar de seis a dez anos para quem cometer o primeiro delito. Se a vítima for maior de 14 anos, mas menos de 18, a reclusão passa a ser de 8 a 12 anos. Caso tenha menos de 14 anos, pode-se pegar de 8 a 15 anos de sentença, e se o crime for classificado como coletivo ou corretivo, as punições aumentam de um a dois terços da original.

O que é importunação sexual?

Segundo o artigo 215 do Código Penal brasileiro, o termo importunação sexual diz respeito a qualquer prática sexual realizada sem consentimento com objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro.

Em 2018, a lei 13.718 entrou em vigor, e impõe penalidade de 1 a 5 anos de reclusão para quem cometer o delito.

O que é assédio sexual?

Segundo o código 216 do código penal, o assédio é todo ato que constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual prevalecendo-se do agente de sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerente ao exercício de cargo, emprego ou função.

Para o assédio sexual, a carta prevê de 1 a 2 anos de reclusão, podendo ser aumentado em até um 1/3 do total estipulado caso a vítima tenha menos de 18 anos.

Como denunciar um estupro?

Vale ressaltar que os crimes possuem um prazo para serem denunciados, a chamada "prescrição". Caso o crime prescreva, a lei não pode julgar ou condenar uma pessoa. Uma vítima de estupro pode denunciar a infração até 16 anos depois do acontecimento.

Além disso, a vítima pode utilizar o canal de denúncia da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, por meio do número 100 no telefone. Ou então, utilizar a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência pelo 180.

A mulher que sofrer a violência, também pode procurar a Delegacia da Mulher ou posto policial mais próximo e denunciar o crime presencialmente.