Pró-Bolsonaro, irmão de petista morto diz que bolsonaristas chutaram assassino

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Militante petista e tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, Marcelo Arruda foi assassinado por um apoiador de Jair Bolsonaro durante celebração do próprio aniversário de 50 anos (Foto: Reprodução)
Militante petista e tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, Marcelo Arruda foi assassinado por um apoiador de Jair Bolsonaro durante celebração do próprio aniversário de 50 anos (Foto: Reprodução)

Ao saber do assassinato de Marcelo Arruda, tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu por um bolsonarista, o presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou “petistas” por chutarem o assassino, Jorge Guaranho. A fala de Bolsonaro, no entanto, foi desmentida pelo irmão da vítima: os indivíduos filmados chutando o bolsonarista eram também apoiadores do presidente.

“O camarada que deu um chute no cara caído lá é um bolsonarista”, disse Luiz Arruda, irmão de Marcelo Arruda, em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo.

“Não era um ambiente só de petista, era um ambiente de aniversário. O tema meu irmão escolheu esse”, declarou o irmão. Ele foi o responsável por alugar o espaço, como um presente de aniversário para Marcelo.

No dia 12 de julho, Jair Bolsonaro afirmou: "O pessoal da festa, todos petistas, encheram a cara dele [Guaranho] de chute. Se esse cara morre de traumatismo craniano, esses petistas vão responder por homicídio", afirmou Bolsonaro em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada, em Brasília. O registro foi feito pelo portal UOL.

“Para os petistas, chute na cara de quem tá caído no chão é violência do bem”, acrescentou.

Luiz, que também votou em Jair Bolsonaro em 2018, foi contatado pelo presidente após a morte de Marcelo. Bolsonaro convidou Luiz e outro irmão, também apoiador, para irem para Brasília, com o objetivo de “desmentir a imprensa”, que, segundo Bolsonaro, tentava culpa-lo pelo assassinato do tesoureiro do PT.

“Morreu um cara da esquerda, mas quem chora e quem tem o coração partido é um cara da direita”, declarou Luiz sobre o assassinato do irmão.

O inquérito sobre a morte de Marcelo Arruda foi encerrado e, para a Polícia Civil do Paraná, não houve crime político, mesmo sem perícia no celular do assassino. Jorge Guaranho viu as imagens da festa do petista e foi até o local, onde confrontou Marcelo. Mais tarde, Guaranho voltou com uma arma e matou o aniversariante.

Jorge Guaranho, que também foi atingido durante a discussão, está em estado grave no hospital e teve a prisão preventiva decretada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos