Problema de 2022 é do eleitor, não meu, diz Bolsonaro

·1 minuto de leitura
.

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que não está preocupado com a sucessão de 2022 e, ao dizer que "tem responsabilidade", aproveitou um evento público em São Paulo para criticar a atuação do governador do estado, João Doria --provável adversário na sucessão presidencial--, no enfrentamento ao coronavírus.

"Aqui tem um presidente que não tem medo da verdade, que não está fazendo demagogia, não está com máscara aqui em estúdio e quando está em Miami está sem máscara. É um presidente diferente", disse após participar de jogo beneficinete em Santos (SP).

"É um presidente que tem responsabilidade e não está preocupado com 22. O problema de 22 é do eleitor, não é meu", emendou, ao conceder uma entrevista coletiva. O presidente estava sem máscara, assim como quase todos que o acompanhavam naquele momento.

Bolsonaro e Doria têm trocado farpas ao longo do ano em meio ao combate contra a Covid-19.

O presidente tem acusado o governador paulista de tentar emplacar a Coronavac --vacina chinesa que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo-- por interesses eleitoreiros, no que é rebatido pelo desafeto.

Embora tenha dito que não se preocupa com 2022, Bolsonaro trabalha para isolar Doria, quer encontrar uma fórmula para manter algum tipo de ajuda aos milhões de brasileiros que vão ficar a partir do próximo mês sem o auxílio emergencial e ainda tem reforçado seus vínculos com parlamentares do chamado centrão, de forma garantir uma base mais sólida no Congresso para os dois últimos anos de mandato.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello e Leonardo Benassatto)