Problema de saúde pode explicar sumiço do Bolsonaro desde a derrota

Bolsonaro teria se afastado dos holofotes por um problema de saúde (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Bolsonaro teria se afastado dos holofotes por um problema de saúde (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • Jair Bolsonaro teria se distanciado dos holofotes por causa de um problema de saúde

  • Aliados explicaram que o presidente está com uma infecção na perna

  • Nos últimos nove dias, o presidente esteve no Palácio do Planalto apenas uma vez

O sumiço de Jair Bolsonaro (PL) desde a derrota para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno da eleição presidencial pode estar relacionado a um problema de saúde.

Nos últimos nove dias, Bolsonaro tem se mantido recluso, fez apenas duas aparições públicas e se distanciou do Palácio do Planalto. Até seus apoiadores foram ignorados pelo presidente.

De acordo com informações levantadas pela coluna do jornalista Igor Gadelha junto a interlocutores, Bolsonaro está com um ferimento importante na perna.

Aliados do presidente relataram que a lesão foi sofrida ainda durante a campanha, mas não foi tratada da maneira correta no momento.

Por isso, o machucado infeccionou e trouxe problemas a Bolsonaro, que passou a tomar antibióticos. Os relatos são de que o incômodo é tão grande que atrapalha o presidente até a vestir as calças.

Sumiço desde a eleição

De acordo com informações do g1, nestes últimos nove dias, Bolsonaro foi ao Planalto apenas para cumprimentar o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin na última quinta-feira (3).

O evento sequer apareceu na agenda oficial do presidente, mas foi anunciado pela equipe de transição do governo e comentado por Alckmin, que considerou a conversa durante o encontro "positiva".

Desde a derrota nas urnas, Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada - residência oficial do presidente - para compromissos oficiais em apenas duas oportunidades.

Na terça-feira passada (1º), ele teve uma reunião com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) momentos após seu primeiro pronunciamento desde a vitória de Lula.

Durante o encontro, segundo os ministros, Bolsonaro admitiu a derrota nas urnas e prometeu não dificultar a transição para o próximo governo.

Nos últimos cinco dias, o presidente não teve nenhum compromisso em sua agenda e permaneceu isolado no Alvorada.

Presidente "desapareceu"

O presidente parece ter sentido a queda para seu maior desafeto político. As constantes aparições públicas e nas redes sociais acabaram e o que se viu desde o dia 30 foi um Bolsonaro recluso.

Além do pronunciamento oficial após 48 horas de silêncio depois do segundo turno, o presidente falou a seus apoiadores apenas mais uma vez, em vídeo publicado na última quarta (2), quando pediu o fim dos bloqueios nas rodovias.

A live semanal de quinta-feira não foi realizada na semana passada, e Bolsonaro nunca mais apareceu para conversar com seus apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, como fez ao longo de toda sua gestão.

Mesmo nas redes sociais, nas quais era bastante ativo, o político diminuiu o número de postagens. A última, feita nesta terça-feira (8), traz uma foto do presidente em frente a uma bandeira do Brasil, com apoiadores o festejando.

Confira a agenda de Bolsonaro desde a derrota para Lula:

  • 31/10 - Recebeu visita do ministro da Economia, Paulo Guedes, no Palácio da Alvorada

  • 1/11 - Reunião ministerial no Palácio da Alvorada, pronunciamento sobre o resultado da eleição e ida ao STF

  • 2/11 - Sem compromissos

  • 3/11 - Encontro com Célio Faria Júnior, ministro da Secretaria de Governo, no Palácio da Alvorada; ida ao Palácio do Planalto para cumprimentar Geraldo Alckmin

  • 4/11 - Sem compromissos

  • 5/11 - Sem compromissos

  • 6/11 - Sem compromissos

  • 7/11 - Sem compromissos

  • 8/11 - Sem compromissos