PROCÓPIO Cardoso desabafa sobre entrada de Pelé que o tirou dos gramados por 5 anos e missão de marcar Roberto Dinamite

Zagueiro de destaque do futebol Brasileiro nos anos 1960 e 1970 e ídolo do Cruzeiro, Procópio Cardoso ficou afastado do gramado por 5 anos após receber uma entrada de Pelé em 1968 e romper os ligamentos do joelho esquerdo. Em seu retorno pela Raposa, em 1973, Procóprio tinha a missão de marcar o atacante Roberto Dinamite, que vivia grande fase no Vasco, e acabou tendo uma atuação de destaque naquele dia. Nesta quarta, Procópio relatou no Twitter o passo a passo de sua árdua recuperação.Para ser reintegrado ao elenco do Cruzeiro após quase encerrar a carreira, Procópio teve que passar por um teste no clube. Depois, precisou superar a desconfiança do técnico Hilton Chaves, que não o relacionava para as partidas, até que um dia foi surpreendido pela própria mulher, Mariam, assim que chegou em casa. Ela disse que ele viajaria com o restante do elenco para encarar o Vasco, em uma partida do Campeonato Brasileiro. Procópio 01"Liguei para o clube e, para minha surpresa, de fato a ordem era para me dirigir ao aeroporto. Estranhei porque na Toca ninguém tinha me dito nada. O jogo seria dois dias depois contra o Vasco da Gama, no Rio." Procópio 03 Após receber a notícia de que voltaria a entrar em campo, Procópio foi avisado por um amigo, o ex-jogador Carioca, que a missão de marcar Roberto Dinamite era uma forma de queimá-lo para que ele não voltasse a jogar."Estávamos em 1973, Roberto estava no auge de sua carreira. Mas eu estava tranquilo, me sentia preparado. Nunca temi nada nem ninguém, principalmente quando eu vestia a camisa do Cruzeiro". Roberto Procópio 02Procópio acabou levando a melhor no duelo com Dinamite, e permaneceria no Cruzeiro até 1974, quando decidiu deixar os gramados. Nessa segunda passagm pela Raposa, Procópio, foi duas vezes vice-campeão brasileiro e ganhou um Campeonato Mineiro. Hoje, o ex-zagueiro é professor de educação física da UFMG,