Procon-RJ mostrará onde comprar alimentos mais em conta

·1 min de leitura
Mulher fazendo compras em um supermercado
26 estabelecimentos estão sendo analisados nas cidades de Rio de Janeiro, Macaé, Campos dos Goytacazes, Niterói, Nova Iguaçu, Nilópolis e Nova Friburgo

(Getty Images)

  • Procon-RJ ajudará a comparar os preços dos alimentos;

  • Página em seu site será lançada no dia 29 de outubro;

  • Pesquisa também pretende checar se a isenção do ICMS para arroz e feijão está chegando ao bolso dos consumidores.

Os moradores do Rio de Janeiro passarão a saber onde comprar alimentos mais em conta a partir do dia 29 de outubro. A data marca o lançamento de uma página no site do Procon-RJ, que indicará os preços praticados em alguns supermercados do estado.

A realização do levantamento também checará se os preços do arroz e feijão diminuíram, já que foi aprovada, em 6 de outubro, a lei que isenta os produtos de ICMS. Na última quarta-feira, agentes do Procon-RJ foram às ruas para entender se a mudança está chegando aos bolsos dos consumidores.

Leia também:

Por enquanto, 26 estabelecimentos estão sendo analisados nas cidades de Rio de Janeiro, Macaé, Campos dos Goytacazes, Niterói, Nova Iguaçu, Nilópolis e Nova Friburgo.

"A alta no preço dos alimentos está afetando diretamente as famílias fluminenses. Com a pesquisa, queremos saber se houve redução ou estabilidade no preço do arroz e feijão. Ela também vai servir de base para os consumidores identificarem onde comprar mais barato e ainda estimular a concorrência", disse Cássio Coelho, presidente do Procon-RJ.

Os agentes também estão levantando os preços de outros mantimentos, como óleo de soja, leite, ovos, açúcar, sal, fubá, macarrão, farinha de trigo e farinha de mandioca. Quem solicitou a pesquisa foi Leonardo Vieira, secretário estadual de defesa do consumidor.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos