Procurado por ataques ao STF, Allan dos Santos recorre ao Supremo contra prisão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Allan dos Santos, journalist and supporter of Brazil's President Jair Bolsonaro is seen after the Federal Police Agents leave his home during a fake news investigation, amid the coronavirus disease (COVID-19) outbreak, in Brasilia, Brazil, May 27, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Allan dos Santos está nos Estados Unidos e pode ser extraditado do país (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Terça Livre recorreu ao STF para impedir bloqueio de contas e exclusão de perfis em redes sociais

  • Allan dos Santos, criados do Terça Livre, teve prisão decretada por ser investigado em dois inquéritos, um deles diz respeito à ataques ao Supremo

  • Mandado de segurança do Terça Livre foi distribuído para Edson Fachin

O canal Terça Livre entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal contra o pedido de bloqueio das contas bancária e banimento do canal bolsonarista das redes sociais. As medidas foram determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do próprio STF. A informação foi relevada pelo jornal Valor Econômico.

As decisões de Moraes foram feitas juntos com a determinação de prisão do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, criador do Terça Livre. Ele é investigado pelo STF em dois inquéritos, um pela disseminação de notícias falsas, outro por atacar ministro do Supremo Tribunal Federal e prejudicar a democracia brasileira.

Segundo o Valor Econômico, no pedido, a defesa argumenta que os atos são “desproporcionais e arbitrários, uma vez que conduzem a danos irreversíveis para a empresa” e classificam o Terça Livre como um “canal de jornalismo multiplataforma”, com mais de 50 colaboradores.

“Nobres ministros da Corte Suprema, quando foi que uma empresa investigada teve suas atividades encerradas no curso de uma investigação, antes mesmo do oferecimento de qualquer denúncia, ou do encerramento de um processo legal com exercício pleno de contraditório e ampla defesa?”, questionaram os advogados. O pedido foi distribuído ao ministro Edson Fachin.

Determinação de prisão de Allan dos Santos

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos afirmou que só pretende se entregar à Justiça quando entrar efetivamente na lista vermelha da Interpol. A prisão do extremista de direita foi decretada pelo ministro Alexandre de Moraes na última quinta-feira (21), após pedido da Polícia Federal.

“O pedido de Moraes precisa ser acatado pela Interpol. Quando isso for acatado, eu mesmo faço questão de me apresentar. Mas vou usar de todos os requisitos dos quais eu tenho direito nos EUA, mesmo como imigrante”, disse durante uma transmissão do canal bolsonarista que criou, o Terça Livre.

Pedido da PF e decretação de Moraes

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão preventiva de Allan dos Santos, blogueiro bolsonarista investigado por disseminar notícias falsas e organizar atos antidemocráticos.

A decisão de Moraes acontece após um pedido feito pela Polícia Federal. A Procuradoria-Geral da República teria se manifestado contrária à prisão.

Responsável pelo canal “Terça Livre”, ele está nos Estados Unidos e, por isso, Moraes também pediu ao Ministério da Justiça que dê início de forma imediata ao processo de extradição de Allan dos Santos. O visto do blogueiro estaria vencido.

O pedido do ministro ainda tem outro fator: o mandado de prisão contra Allan dos Santos deverá ser incluído na lista da Difusão Vermelha da Interpol. Essa seria uma maneira de garantir que o blogueiro bolsonarista seja preso e retorne ao Brasil. A embaixada dos Estados Unidos também foi acionada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos