Procurador da Venezuela pede prisão de jornalista por tuíte obsceno contra esposa de Messi

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Lionel Messi acena para torcedores em Caracas antes de treino da seleção argentina em 1º de setembro (AFP/Yuri CORTEZ)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab, pediu na quarta-feira a prisão e indiciamento de um jornalista esportivo por "violência simbólica e promoção do ódio", depois que este retuitou e comentou um canto obsceno contra a esposa do astro argentino Lionel Messi.

Messi desembarcou em Caracas esta semana para defender a Argentina nesta quinta-feira contra a Venezuela pelas eliminatórias da Copa do Mundo do Catar-2022.

"Designado Tribunal 94 Nacional para solicitar ordem de prisão e indiciamento do sujeito Fernando Petrocelli pelos crimes de violência simbólica e promoção do ódio por discriminação de gênero: contra a cidadã Antonella Roccuzzo, esposa de LIONEL MESSI”, escreveu Saab no Twitter.

O procurador incluiu na mensagem uma captura de tela de um retuíte feito pelo comentarista esportivo venezuelano, que mora na Argentina, de uma mensagem que pedia "cantos picantes" contra a seleção alviceleste. "Messi, Messi, tudo bem, você é um craque, mas Antonella vai chupar a todos", afirmava o text.

Petrocelli retuitou com a mensagem: "Boa música. Anotem para quinta-feira. Mudaria o final para os sensíveis e poderia ser 'com Antonella vamos gozar' hahaha".

O jornalista de 37 anos apagou a mensagem, criticada por centenas de pessoas, e pediu desculpas antes da ordem de prisão solicitada pelo procurador.

"Lamento profundamente que meu comentário de ontem tenha ofendido as mulheres, que sempre respeito a todo momento. Apresento minhas desculpas mais sinceras. Minha referência eram as músicas de campo que existem na Argentina. Me equivoquei. Não era minha intenção ofendê-las", escreveu.

As autoridades venezuelanas já prenderam pessoas por comentários nas redes sociais, normalmente quando são críticas ao governo do presidente Nicolás Maduro ou seus parentes.

jt/mbj/cl/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos