Procuradoria denuncia Arthur Lira, líder do centrão e aliado de Bolsonaro, sob acusação de corrupção

MATHEUS TEIXEIRA E MARCELO ROCHA
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF, 2.09.2015: O presidente da CCJ, dep. Arthur Lira (PP-AL), durante sessão da comissão em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A PGR (Procuradoria-Geral da República) denunciou o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), nesta sexta-feira (5), sob acusação de corrupção passiva.

Lira é um dos parlamentares mais influentes da Câmara e tem liderado o movimento de aproximação dos partidos do chamado centrão com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na denúncia encaminhada ao STF (Supremo Tribunal Federal), a Procuradoria acusa Lira de receber R$ 1,6 milhão de propina da empreiteira Queiroz Galvão em troca de apoio do PP para a permanência de Paulo Roberto Costa como diretor da Petrobras.

Apesar de não ser empecilho jurídico para a atuação de Lira, a denúncia representa um desgaste político no momento em que o deputado desponta como um dos principais favoritos à sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na disputa pela presidência da Câmara em 2021.

Esta acusação é um desdobramento do chamado “quadrilhão do PP”, no qual Lira também foi denunciado.

O deputado também já teve denúncia aceita em um terceiro caso, em que um assessor foi preso no aeroporto de Congonhas tentando embarcar com R$ 106 mil escondido sob as vestes, incluindo as meias. De acordo com o Ministério Público, tratava-se de propina para colocar um indicado do partido em um cargo público.