Procuradoria do STJD pede abertura de inquérito para apurar ofensa de Ramírez a Gerson

Igor Siqueira
·2 minuto de leitura
Alexandre Cassiano / Agência O Globo

A procuradoria do STJD fez nesta quarta-feira um pedido de abertura de inquérito para apurar a denúncia de injúria racial que teria sido cometida por Ramírez, do Bahia, contra Gerson, durante a vitória do Flamengo por 4 a 3, pelo Brasileirão.

O documento foi enviado à secretaria do tribunal pelo procurador-geral, Ronaldo Piacente. Com isso, cabe uma manifestação de aceitação por parte do presidente do STJD, Otávio Noronha. A corte está funcionando em esquema de plantão.

A partir da instauração do inquérito, um auditor do Pleno do STJD será designado como relator e caberá a ele conduzir a junção de provas, colher depoimentos e fazer as diligências necessárias para chegar alguma conclusão: se denuncia ou não.

- O inquérito é para apurar existência da infração disciplinar. O pedido sendo deferido, o presidente vai sortear o relator. Ele vai tocar o processo, ouvir todo mundo e concluir o inquérito. Se o relator entender que houve infração disciplinar, ele remete para a procuradoria. E aí a procuradoria faz a denúncia. Não caracterizada a infração, o relator pode determinar o arquivamento - disse ao GLOBO o procurador-geral, Ronaldo Piacente.

O Flamengo já tinha enviado representação ao STJD contra Ramírez - que teria dito "cala boca, negro" para Gerson - e o técnico Mano Menezes, por dizer no primeiro momento que o meia do Fla estava de "malandragem".

Além disso, o Fla remeteu um laudo de leitura labial formulado pelo Ines (Instituto de Educação de Surdos). A análise é de uma situação posterior à confusão Ramírez e Bruno Henrique, posterior ao momento apontado por Gerson, no qual o meia do Bahia também teria ofendido o atacante do Flamengo.

Ramírez nega todas as acusações e contou que foi chamado de "gringo de m..." por Bruno Henrique.

Todas as provas ficarão sob a curadoria do relator designado, caso Otávio Noronha aceite o pedido de inquérito da procuradoria. O objeto do pedido de inquérito não envolve Bruno Henrique x Ramírez e foca na questão denunciada por Gerson. Mas o segundo episódio pode ser inserido posteriormente se o relator encontrar provas para isso.