Procurados por estupro de vulnerável são presos em operação no Maranhão

Procurados por estupro de vulnerável são presos em operação no Maranhão. (Foto: Getty Images)
Procurados por estupro de vulnerável são presos em operação no Maranhão. (Foto: Getty Images)

A Polícia Civil do Maranhão prendeu nesta segunda-feira (20), dois homens suspeitos de estupro de vulnerável, ocorridos no município de Estreito. As prisões aconteceram durante a “Operação Acalento” da PC do estado.

Os indivíduos foram localizados nas cidades de Guadalupe, no Piauí, e Mirador, no Maranhão.

No Piauí, Grupo de Pronto Emprego (GPE) da regional de Imperatriz, com apoio da Polícia Civil da cidade de Guadalupe, prenderam um indivíduo em cumprimento ao mandado de prisão definitiva, com pena de 51 anos, 8 meses e 28 dias de reclusão em regime fechado. O crime ocorreu na cidade de Estreito, no ano de 2011 e desde esse período, o acusado estava foragido.

O GPE ao ter ciência do Mandado de Prisão em desfavor do suspeito, iniciou levantamento no intuito de localizar e capturar o infrator.

Já na cidade maranhense de Mirador, o Grupo de Pronto Emprego (GPE), com apoio da Polícia Militar do Maranhão também cumpriram um mandado de prisão condenatória contra um homem condenado a pena de 9 anos de reclusão em regime fechado pelo crime de estupro de vulnerável. O crime ocorreu também no município de Estreito, em 2010.

A 10º Delegacia Regional de Imperatriz foi responsável pela localização dos presos, que são condenados, nos municípios de Mirador, no Maranhão e Guadalupe.

A Operação Acalento combate crimes contra crianças em todo o país. O trabalho faz parte de uma operação, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (SEOPI), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos