Produção artística feminina é destaque em Niterói

Dois festivais voltados para a visibilidade de obras artísticas femininas têm atrações hoje, com programação diversificada. Um deles é o Mulheres Artistas de Niterói Apresentam (Mana), que conecta e apoia mulheres do cenário fluminense de música há dois anos, por meio de residências que promovem o protagonismo feminino em cena e no backstage.

Carnaval 2023: Niterói adia desfile das escolas de samba

Exposição: Com obras de Hermeto Pascoal, mostra ‘Música é invenção’, entra em cartaz na UFF

A ocupação Mana tem programação de shows e oficinas gratuitas a partir de hoje no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, no Campo de São Bento, em Icaraí. Uma das fundadoras do movimento, a produtora cultural Flávia Salles conta que o Mana já apoiou aproximadamente 30 artistas em diversas etapas da cadeia produtiva da música de Niterói e outros municípios da região. Para ela, ainda há um longo caminho a percorrer. Dados coletados por entidades de direitos autorais, sistematizados pela Women In Music, mostram que a divisão de gênero nas atividades musicais de todo o mundo está em, aproximadamente, 70% de homens e 30% de mulheres.

— Queremos dar visibilidade criando espaços de representatividade seguros e aproximando artistas de diferentes gêneros e fases de carreira. O Mana é um movimento importante na disrupção dessa engrenagem, na criação de novas formas de funcionamento e na maior equidade de gênero no meio — afirma Flávia.

Programação é gratuita

Já o Teatro Popular Oscar Niemeyer, no Centro, recebe a primeira Mostra Manas de Artes Integradas — EntreVivências, com uma programação de obras artísticas realizadas por mulheres, incluindo performances, shows, apresentação musical, artes visuais e exibição de filmes e oficinas.

Incentivo: Fomento público à cultura em Niterói gerou três mil postos de trabalho em 2022

— Acreditamos que, uma vez que nos conectamos, podemos potencializar o trabalho umas das outras. Por isso abrimos uma chamada pública para montar essa programação. Com as propostas selecionadas, conseguimos fechar dois dias de programação com dois recortes principais. Um é mais voltado para artes urbanas: cinema a céu aberto, show de rap e um slam de poesia que vai premiar as três primeiras colocadas. No segundo dia, a mostra celebra a cultura popular, para fechar com aquela energia gostosa de roda de samba no pôr sol belíssimo da Baía de Guanabara — diz Carolina Rodriguez, produtora cultural da Manas Produtora.

Os eventos têm entrada gratuita. O EntreVivências vai das 14h às 22h. Na abertura, Samira Marana apresenta o espetáculo de dança “Esgotamento contínuo”, destacando as influências entre África e Brasil.

A programação do Festival Mana começa às 10h, com o Workshop de Imaginação Criativa, comandado por Érica Alves.