Produção da Apple na China pode cair 30% com novo lockdown, diz fonte

Por Yimou Lee

TAIPÉ (Reuters) - A produção de iPhones, da Apple, pode cair até 30% em uma das maiores fábricas do mundo no próximo mês devido ao aperto das restrições sanitárias contra Covid-19 na China, disse uma fonte com conhecimento do assunto nesta segunda-feira.

A Foxconn está trabalhando para elevar a produção em outra fábrica em Shenzhen para compensar a queda, disse a fonte. A principal fábrica de Zhengzhou, que emprega cerca de 200 mil pessoas, foi abalada pelo descontentamento com as medidas rigorosas para conter a propagação da doença, com vários trabalhadores fugindo do local nos finais de semana.

A Foxconn disse no domingo que estava controlando a situação e coordenaria a produção com outras unidades para reduzir qualquer impacto. O preço de suas ações fechou em queda de 1,4% nesta segunda-feira contra aumento de 1,3% do mercado.

A Apple não respondeu a um pedido de comentário.

A Foxconn é a maior fabricante terceirizada da Apple, produzindo 70% das remessas de iPhones globalmente, o que por sua vez representa 45% da receita da empresa taiwanesa, disseram analistas da Fubon Research neste mês.

Sob as políticas de zero Covid-19 da China, as fábricas nas áreas afetadas pela doença podem permanecer abertas se operarem num sistema de circuito fechado, no qual os funcionários vivem e trabalham no local. As empresas dizem que esse sistema apresenta inúmeras dificuldades.

Dezenas de pessoas fugiram do local no fim de semana, com fotografias e vídeos nas mídias sociais. A Reuters não pôde verificar imediatamente a autenticidade das postagens.

A Foxconn não divulgou se algum trabalhador da fábrica de Zhengzhou foi diagnosticado com Covid-19. A empresa implementou circuito fechado em março e julho deste ano em sua fábrica de Shenzhen, à medida que os casos na cidade do sul aumentavam.