Produção de petróleo no Brasil cai em março pela 3ª vez seguida

Por Marta Nogueira
Plataforma de petróleo em terminal no porto do Açu, em São João da Barra, no Brasil 07/06/2016 REUTERS/Ricardo Moraes

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção de petróleo no Brasil caiu em março pela terceira vez consecutiva ante o mês anterior, após o recorde registrado em dezembro, com a ajuda de paradas programadas da Petrobras, mostraram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta terça-feira.

O Brasil produziu 2,55 milhões de barris de petróleo por dia (bpd) em março, queda de 4,7 por cento ante o mês anterior. Ao longo do mês, a petroleira estatal realizou paradas programadas em dois dos mais importantes campos em produção.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve uma alta de 12,6 por cento da produção, principalmente impulsionada pelo desenvolvimento das áreas no pré-sal ao longo de 2016.

A produção brasileira de gás natural em março, por sua vez, somou 101,3 milhões de metros cúbicos por dia (m3/d), queda de 5 por cento ante fevereiro e alta de 12,2 por cento ante o mesmo mês do ano passado.

Somando a produção de petróleo e gás natural, o país extraiu 3,187 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed).

Do montante total, o pré-sal foi responsável por 47 por cento, com a produção de 1,499 milhão de boed, sendo 1,208 milhão de bpd e 46,25 milhões de m3/d de gás natural, um recuo de 2,4 por cento em relação ao mês anterior.

A Petrobras produziu em março 2,023 milhões de bpd, segundo os cálculos da ANP, queda de 3 por centro ante fevereiro.

A empresa informou anteriormente que a queda em março ante fevereiro foi devido principalmente às paradas para manutenção da plataforma Cidade de Angra dos Reis, no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos, maior produtor do país, e da P-37, no campo de Marlim, na Bacia de Campos.

Já a anglo-holandesa Shell, segunda maior produtora de óleo e gás do Brasil e sócia da Petrobras em áreas do pré-sal produziu em março 287.018 bpd, queda de 3 por cento ante o mês anterior, segundo cálculos da agência reguladora.

(Por Marta Nogueira)