Produtor nega que tenha agredido ex-amiga de Ludmilla em saída de boate no Rio: 'Ninguém encostou a mão nela'

·2 minuto de leitura

Um dos jovens envolvidos na briga na saída de uma boate na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, se pronunciou sobre a confusão que aconteceu na madrugada desta sexta-feira. Isso depois de a universitária Raiane Moreira ter acusado um grupo de amigos da cantora Ludmilla de tê-la agredido e ameaçado, na ocasião. Renato Smith admitiu que houve uma briga, mas negou que Raiane tenha sido agredida fisicamente. Os dois já foram amigos no passado, mas "não se falam mais" atualmente.

"Quem me bateu foi o amigo dela. Ninguém encostou uma mão nela. Eu, sim, que fui agredido. Quem me conhece sabe que não sou assim do jeito que ela está falando", diz ele, que acusa Raiane de estar atrás de fama. "Ela só fez isso tudo para querer ganhar fama, que ela sempre quis. Inclusive usou o nome da Ludmilla, sendo que a Ludmilla nem no momento estava."

Em seu relato, Raiane relata que foi derrubada no chão durante a confusão. Renato, porém, diz que ela teria caído. "Não mesmo, o menino que me bateu estava na frente dela.Aí, na correria realmente, ela realmente caiu. Não porque alguém a jogou e, sim, porque ela caiu."

Na web, Renato também relatou a situaçao. Por lá, voltou a dizer que a história apresentada por Raiane é uma calúnia e que "nunca agrediria uma mulher". "Ela fez corpo de delito, só que não dará em nada. Muito pelo contrário, ninguém bateu nela. Ela não tem um arrannhão. O que ela está fazendo é muito triste, porque tem muita gente me xingando e ameaçando", consta do relato dele, publicado no Instagram.

Amigo de Raiane dá outra versão

A versão dada por Renato é diferente da apresentada pelo amigo de Raiane, Rapper Naan. De acordo com ele, a jovem foi agredida até após de ele ter cada ido ao chão.

"Vieram três ou quatro em cima da Raiane. Vieram gritar e começaram a bater nela. Não sei de deram uma banda nela, mas derrubaram ela no chão. Estavam batendo nela no chão, três ou quatro malucos. Vendo a situação, não tinha como, tomei a frente ", contou ele, que "deu um soco em um e um chute no outro".

Naan contou ainda que o outro grupo, então, voltou para o interior da casa noturna. Acrescentou que o segurança colocou na grade, que ele subiu e "acertou" o rosto de um dos envolvidos.

"Tem até uma foto rolando ai com um com o nariz cheio de sangue. Não vi quem é, não sei que é. Para mim, eles são todos parecidos e não sei distinguir quem é, nem quem são os caras. Tacaram garrafas em mim, chamei para vir na mão... (Disse) 'gosta de bater em mulher'. Covarde. Desse tamanho..."

O jovem acrescentou que o segurança colocou o grupo para dentro, que posteriormente, teriam deixado o estabelecimento por uma porta lateral.