Produtora de moda de Taís Araújo relata racismo em loja de shopping em SP

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
A produtora de moda Naiara Albuquerque e a loja de acessórios de luxo Lool

A produtora de moda Naiara Albuquerque relata ter sofrido racismo dentro da loja de acessórios de luxo Lool, localizada no shopping Iguatemi, em São Paulo. Segundo a profissional, o episódio ocorreu na última quinta-feira (21), quando ela retiraria peças que seriam usadas pela atriz Taís Araújo na série Aruanas, da Globo, e que tinham sido previamente autorizadas pelo marketing do estabelecimento.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, a advogada de Naiara, Juliana Souza, afirmou que uma vendedora solicitou a Naiara que ficasse do lado de fora da loja. Como uma senhora estava sendo atendida naquele momento, a produtora de moda supôs que o pedido atendia a protocolos de segurança contra a Covid-19.

Leia também

Naiara deixou a loja e circulou pelo shopping enquanto aguardava seu atendimento. Quando retornou à Lool, no entanto, viu quatro clientes não negras sendo recebidas pela mesma vendedora (que teria dito que não atenderia a produtora e recomendado que voltasse em outro momento).

“Esse caso extrapola o que a gente está acostumado a ver em episódios de racismo. Trata-se de uma discriminação direta, é racismo porque ela não pôde permanecer dentro da loja”, declarou a representante de Naiara.

A advogada disse que tomará medidas legais a respeito do caso e que a defesa da produtora está à disposição para construir uma proposta de reparação não apenas individual, mas que também sirva à comunidade negra. “Como a gente está tratando de racismo institucional, a marca precisa construir, de fato, uma série de medidas para a revisão dessas práticas racistas”, diz.

A marca publicou um comunicado em seu perfil nas redes sociais em que pede desculpas à produtora de moda e afirma que a denúncia “está completamente em desacordo com os valores da Lool”.

“Nunca compactuamos com qualquer ação discriminatória, seja ela racial, de gênero, sexualidade ou classe e seguimos não compactuando”, diz o comunicado. O texto informa que a empresa está refletindo sobre políticas internas de contratação e treinamento de colaboradores e que a fundadora da marca, Luiza Setúbal, entrou em contato com Naiara Albuquerque.