Professor de basquete acusado de abusar de menores tinha circuito de câmeras em seu apartamento

·2 minuto de leitura
O professor de basquete Hamilton Lemos de Oliveira - Foto: Reprodução/TV Globo
O professor de basquete Hamilton Lemos de Oliveira - Foto: Reprodução/TV Globo
  • Hamilton de Oliveira foi preso no último sábado, acusado de abuso sexual

  • Ele era professor de basquete em um instituto que recrutava jovens de todo o Brasil

  • A polícia encontrou um circuito interno de câmeras com o qual ele vigiava os atletas

Acusado de abusar sexualmente de menores de idade, um professor de basquete mantinha um circuito interno de câmeras dentro de seu apartamento na Abolição, Zona Norte do Rio de Janeiro. As informações são do G1.

O sistema foi descoberto quando a Polícia Civil cumpriu na tarde da última segunda-feira (20) um mandado de busca e apreensão na residência de Hamilton Lemos de Oliveira, de 56 anos. Ele segue preso desde o último sábado (18).

Leia também:

Segundo os agentes, as câmeras eram utilizadas pelo professor para vigiar os atletas. Além disso, ele possuía fichas com informações detalhadas de cada aluno.

"Constatamos todo o monitoramento feito naquela residência e agora vamos buscar os arquivos supostamente apagados através da perícia”, explicou a polícia.

Além de residência de Hamilton, o apartamento funcionava como sede do instituto no qual o rapaz dava aulas de basquete e que recrutava jovens de todo o país que sonhavam com uma vida melhor por meio do esporte.

Hamilton foi detido no último sábado - Foto: Divulgação
Hamilton foi detido no último sábado - Foto: Divulgação

Era ali que boa parte deles vivia enquanto fazia parte do projeto. Segundo a polícia, os quartos foram encontrados em condição insalubre e os jovens eram alimentados basicamente com arroz, feijão e salsicha.

Mensagens foram apagadas

O delegado responsável pelo caso já foi informado de que Hamilton apagou mensagens de seu celular momentos antes da detenção no fim de semana. Ele teria, ainda, pedido a dois dos alunos para desmentirem os abusos aos investigadores.

"Foi apreendido um telefone celular, porque ele tinha arquivos de abusos sexuais perpetrados contra os adolescentes e contra os jovens maiores também. Com a apreensão do telefone, acreditamos que a perícia vá conseguir recuperar estes arquivos e ele vai responder por este crime também do ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]”, explicou o delegado Adriano França.

Cinco vítimas denunciaram os abusos sexuais cometidos por Hamilton. Um deles chegou a informar que viveu momentos difíceis no apartamento da Abolição.

"A gente foi ameaçado diversas vezes. Então, teve gente lá que foi abusado sexualmente de forma absurda, entendeu? Mas que é até difícil chegar aqui e falar isso para vocês", contou o menor, segundo o G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos