Professor de muay thai dá aulas para jovens da Cidade de Deus

Professor ao lado de alguns de seus alunos. Foto: Arquivo Pessoal

Pensando em melhorar a vida de jovens da Cidade de Deus, uma das maiores favelas do Rio de Janeiro, o professor Leonardo Castilho Alves resolveu passar a dar aulas de muay thai de graça para essa população.

Conhecido na região como Leo Sagat, o professor contou ao blog que o projeto tem como objetivo não deixar que esses jovens entrem no mundo do crime e que eles vejam que existem várias possibilidades para eles.

“O projeto tem a finalidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas da localidade”, explicou o professor dizendo que é importante mostrar que unindo cuidado com a saúde e mudando alguns hábitos, seus alunos passam a largar a vida sedentária.

Leia também:

Segundo ele, existem várias mudanças que podem ser observadas na saúde de seus alunos. “O humor melhora, começam a ter hábitos saudáveis e também incentivam outras pessoas a seguirem o mesmo objetivo”, explicou Leo.

Porém, o professor faz muito mais. Além de dar aulas, melhorar a saúde dos jovens e deixá-los longe do mundo do crime, ele também ajuda aqueles que precisam de um apoio e de uma orientação para não entrarem em depressão.

Segundo ele, essa é, infelizmente, a realidade de muitos alunos. Mas ele diz que faz questão de conversar com eles e mostrar que existe uma luz no fim do túnel para todos eles. Com seu próprio exemplo, ele consegue ilustrar que existe uma saída para uma situação triste.

Leo diz que esse tipo de resposta e de evolução de seus alunos o emociona muito. “São jovens com vários problemas de comportamento, sem disciplina, que não gostam de seguir regras. Mas eu tenho a filosofia de levar eles para conhecer outros ambientes e mostrar que temos um leque de possibilidades”, afirmou.

“Não precisamos ficar presos só à comunidade. Eles têm direito de ir para onde quiserem e mudar o quadro de vida deles”, disse o profissional. E é isso que muitos deles já estão vislumbrando para o futuro.

O time de Leo já tem dois cinturões. Além disso, a maioria dos atletas do grupo permanece invicta este ano. “Agora estamos focando no brasileiro, que acontece em setembro, no Espírito Santo. O foco é conquistar duas vagas para o mundial da Tailândia”, afirmou ao blog.

Porém, ainda existe um grande impeditivo para que o time alcance patamares ainda mais altos: o dinheiro. “Tem muito evento que nos convidam para lutar, mas esbarra na grana para viagem, hospedagem, alimentação, mas continuamos lutando mesmo assim. Sou muito esperançoso”, constatou.

Segundo o professor, seria necessário que o grupo tivesse mais apoio financeiro e patrocinadores. Sonhando em poder aumentar seu projeto, Leo diz que seu sonho é ter um espaço específico para realizar as lutas e, assim, poder ajudar mais pessoas.

Atualmente, eles treinam em um espaço que também é usado para a realização de festas em uma associação de moradores, o que impossibilita, muitas vezes, que os treinos sejam feitos da maneira mais adequada.