Professor de Direito diz que advogados de Trump deturparam pesquisa em defesa para impeachment

Jan Wolfe e Richard Cowan e David Morgan
·1 minuto de leitura
Ex-presidente dos EUA Donald Trump chega ao aeroporto de Palm Beach, na Flórida

Por Jan Wolfe e Richard Cowan e David Morgan

WASHINGTON (Reuters) - Um acadêmico de Direito citado pelos advogados de Donald Trump para argumentar sobre a inconstitucionalidade de um impeachment de um ex-presidente norte-americano disse que a equipe jurídica de Trump deturpou "muito" seu trabalho.

O professor de Direito da Universidade de Michigan State Brian Kalt afirmou à Reuters por e-mail que sua pesquisa "definitivamente não" estava sendo descrita com precisão no documento de 78 páginas apresentado pelos advogados de Trump nesta segunda-feira, um dia antes do início de seu segundo julgamento de impeachment.

No documento, os advogados de Trump negam que ele tenha incentivado o violento ataque ao Capitólio norte-americano por centenas de seus apoiadores no dia 6 de janeiro, além de contestarem a constitucionalidade do processo.

Kalt, no entanto, se junta a outros acadêmicos na defesa de que o julgamento no Senado norte-americano é sim constitucional.

"Eles não precisavam ser dissimulados e enganadores assim", disse Kalt posteriormente no Twitter, acrescentando que "em vários lugares, eles deturpam muito o que escrevi".

David Schoen, um dos advogados de Trump, afirmou que não teve a intenção de deturpar o trabalho de Kalt.

"O professor Kalt não concordou com a nossa posição, mas ele explicou bem e queríamos dar o crédito a ele por isso", disse Schoen à Reuters. "Eu posso garantir que nunca foi nossa intenção ludibriar ninguém sobre a posição do professor Kalt."